[MÉXICO] Comunicado 53 de ITS: Reivindicação do Assassinato de Sacerdote Católico em Cuautitlán Izcalli – Selvagens Assassinos Seriais

Floresta - Eco-extremismo - Bosque - Amazônia - Indígenas - Terrorismo - Ecologismo - Niilismo - Misantropía - Individualismo - Ecologia - Guerra 85.jpg

A onda de ataques de ITS pelo mundo não se detém e é com enorme gozo que saudamos agora o novo atentado homicida e anti-cristo da Máfia, o assassinato de um sacerdote católico líder de um templo no Estado do México, uma oferenda de sangue ao submundo. O ataque terrorista se deu em coordenação com os ataques bombistas de Ouroboros Silvestre nessa mesma data. Do outro lado das grandes águas, também no mesmo dia, Criminosos Animistas emergia das sombras para se unir a máfia terrorista, desta vez na Espanha.

Adiante com as lâminas afiadas e pontiagudas para cortar e perfurar a carne fresca dos crentes malditos!

Que sob os filhos de cristo recaiam maldições ancestrais pagãs para que padeçam por selvagerias!

_________________________________________________________________________

Mais uma mostra de vingança ancestral foi executada, nossa faca se cobriu de sangue outra vez, o frenesi da situação centrou o nosso olhar furioso em tocaia nas carnes do alvo, as forças obscuras do Selvagem nos acompanharam e nos empurraram para a ação homicida.

O Inominável tem rondado como um abutre faminto da suja carne dos humanos mortos. Somos os hereges que não puderam massacrar há centenas de anos, nossos ancestrais foram os que morreram rejeitando seus credos humanistas, os que foram queimados nas fogueiras inquisitórias, seus ossos convertidos em pó cobriram a terra se unindo a ela e formando parte do tudo e do próprio nada. Seus espíritos malditos que maldizem mil vezes o extermínio de culturas milenárias distantes de qualquer civilização seguem conosco.

Miclantehcutli, o senhor antigo do submundo, representação da morte, do Oculto e do Desconhecido, entrou em uma igreja católica no 18 de abril passado com o desejo de levar alguém consigo, seja quem fosse. Ele nos levou até o sacerdote Ruben Díaz Acántara, representante máximo da igreja “Nuestra Señora del Carmen”, em Cuautitlán Izcalli, Estado do México.

Chegamos até o imundo sacerdote e antes de apunhalá-lo lhe dissemos algumas palavras em nahuatl, entre elas a maldição ancestral:

¡TEHUIHUICALLIZTLI!*

N-C-320x197

sacerdote-320x225

7yiuh-320x200

A imprensa disse que discutimos com ele, mas isso é falso, porque as últimas palavras que este padre escutou em sua devota vida foram na língua que pretenderam erradicar com sua evangelização e sua colonização há séculos.

Não nos importou que o município estivesse ainda sentido pelo assassinato de dois agentes policiais pelo crime organizado na semana passada, pelo qual o exército, a marinha e a polícia federal fizeram toda uma operação para capturar os responsáveis. Assim, protagonizamos mais um assassinato demonstrando que podemos fazê-lo sem nenhum problema e estar aqui, escrevendo tranquilamente esta carta de responsabilidade zombando de suas pomposas operações inúteis.

De fato, nosso ato nada mais é do que a consequência de outros mais destinados a atingir -a desprezível religião- que tem vindo se desenvolvendo, entre pacotes-bomba, explosivos, ataques incendiários a templos e igrejas e ataques armados contra peregrinos.

Então, seguiremos, porque nossas palavras e ameaças não são em vão, porque o Selvagem segue conosco…

E é claro que atos como estes onde se vê a léguas uma invocação pagã e uma motivação ancestral tenham resposta do Oculto. Isso se materializou em um par de assassinatos a mais de religiosos em Jalisco e Puebla alguns dias após a nossa oferenda de sangue. Do nosso ato se desprenderam as forças do Caos que possuíram as mentes dos criminosos que à base da violência tiraram as patéticas vidas destes sacos de carne e osso.

Para finalizar, recordamos que no mesmo dia 18 -mas pela manhã- nossos irmãos do “Ouroboros Silvestre” (OS) detonaram um par de bombas em Tultitlán e Ecatepec, o que nos une em uma coordenação cúmplice executada. A propósito, esse Grupo de Operações Especiais da polícia municipal que esteve rondando as ruas pelas quais supostamente OS andou é uma piada, uma puta brincadeira!!!

Pela propagação do homicídio anti-humanista!

Que as maldições ancestrais voltem do submundo e encham nossas mãos de sangue humano!

Fogo e explosivos, balas e facas para o alvo em qualquer lugar que existam individualistas mafiosos!

Pela União Egoísta!

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Estado do México

– Selvagens Assassinos Seriais

* A tradução (embora nunca literal) é, “Que a força furiosa encha de peste sua casa.”

Nota:

https://www.proceso.com.mx/530592/sacerdote-muere-apunalado-dentro-de-su-iglesia-en-cuautitlan-izcalli

 

[ESPANHA] Comunicado 52 de ITS — Criminosos Animistas

Floresta - Eco-extremismo - Bosque - Amazônia - Indígenas - Terrorismo - Ecologismo - Niilismo - Misantropía - Individualismo - Ecologia - Guerra 71.jpg

É como grande ânimo que divulgamos aqui o comunicado 52 de ITS e anunciamos também o surgimento de um novo grupo na Europa, desta vez, desde a Espanha, o que o faz ser o terceiro país do Velho Continente a ter operações declaradas de grupos eco-extremistas. Criminosos Animistas ruge atacando indiscriminadamente desde as malditas urbes europeias e se une a horda de individualistas terroristas pelo caos e a destruição.

Força à Máfia ITS e afins na América e Europa que segue imparável!

Apoio total aos individualistas terroristas em tocaia!

_________________________________________________________________________

Já se ouvem os ferozes trovões atingindo as cidades do “Velho Continente”, onde uma massa deformada e artificial de humanoides híper-civilizados não vive, mas vegeta. Já se escuta o vento tempestuoso, aquele que é um presságio para chegada da tragédia. Começam a cair as primeiras gotas de inumanas nuvens negras que cobrem o céu com sua escuridão desconhecida…

Aqui está a tempestade! Todos sabiam que mais cedo ou mais tarde ia acontecer! Os híper-civilizados olham estranhados ao céu, não sabem ainda o que está por vir… Mas quando olham nos olhos da destruição, do caos, da morte, o terror se apoderará deles e correrão para se esconder. Alguns poucos, no entanto, escutarão o chamado da tormenta, o rugido do trovão, o grito do vento e da chuva, e acudimos a ele com as facas recém afiadas, cheias de ódio pela desprezável humanidade de merda… Porque somos estes selvagens egoístas que desfrutam com a morte, que se regozijam com a miséria humana!

Essa tempestade é a Máfia de ITS. Esse grupo de criminosos eco-extremistas e terroristas niilistas que em janeiro deste ano cruzou o atlântico até a Grécia e que hoje, apenas alguns meses depois, já se encontra operacional em dois outros países europeus.

Atacamos misantropicamente a sociedade tecno-moral de maneira indiscriminada porque nos repugna a humanidade, essa coisa ridícula que apodrece nas cidades cheias de fumaça, que se arrasta do trabalho à casa e de casa ao trabalho, como máquinas sem vida, a cada segundo de sua existência insultado tudo o que para nós é sagrado. Odiamos doentiamente seus costumes, suas rotinas, suas aspirações, suas não-vidas… queremos vê-los todos mortos! Nós vivemos entre vocês seus bandos de lixo humano e fracos, vivemos sem levantar nenhuma suspeita, sendo apenas algumas ovelhas a mais, sorrindo no momento necessário para passar despercebidos, somos essas amáveis criaturas que os cedem amigavelmente o assento no transporte público… por trás destes sorrisos estão escondidas as nossas intenções homicidas!

Golpeamos mortalmente a moral do ataque. Como é que podemos sentir empatia por este estúpido animal domesticado que vive longe de sua essência natural? Por acaso existem humanos inocentes diante da humilhação da Natureza Selvagem? Quem crê nisso é um iludido, um humanista ou um tolo (ou os três). Atacamos, sim, alheios ao dualismo das avaliações humanistas. Tanto faz para nós se é rico ou pobre, se é homem ou mulher, se é branco ou negro, o humano moderno é nosso inimigo e nisso não fazemos chatas distinções moralistas. Ou será que a Natureza Selvagem faz distinções quando se manifesta com a brutalidade que a caracteriza? Fizeram distinções os antigos guerreiros bárbaros deste continente? Esta pergunta você pode fazer para as populações inteiras massacradas por aquelas “bestas do norte” Vikings.

Em nosso atuar não há nenhum fim político a alcançar, não buscamos nenhuma revolução, não temos demandas de nenhum tipo, muito menos queremos voltar atrás no tempo. Atentamos porque essa Força Desconhecida que escondem as montanhas, os bosques, os rios, os animais selvagens, a Lua… essa que portam os tsunamis, os terremotos, os vulcões… essa força está também em nós, em forma de escuros, violentos e primitivos instintos. Nós somos humanos civilizados, mas sabemos que nem todos os séculos da vida civilizada conseguiram eliminar estes instintos. O humano moderno os reprime, os mantém insatisfeitos, os encadeia com sua deusa Razão… nós aguardamos com ancestral paciência os momentos em que libertá-los, para saciá-los momentaneamente abraçando o caos!

Como é possível ver, não fazemos a secular e moderna distinção entre nós como sujeitos e a Natureza como objeto. Somos guerreiros pagãos em defesa extrema do Selvagem, mas não entendemos o Selvagem como algo alheio a nós. Pelo contrário, o Alheio é para nós a vida civilizada a todos os seus níveis, e é por isso que atacamos sem mais considerações que o estratégico.

Carecemos da esperança de um amanhã melhor, somos conscientes do final que nos espera nesta guerra desigual. E ainda sim atacamos, como fizeram os antigos.

Assim, reivindicamos que na noite do dia 18 de abril saímos pela cidade de Valência com um saco de lixo. Nele não havia restos de comida, mas um artefato incendiário de cerca de 5 litros com um pequeno explosivo preso e desenhando para detonar momentos após o artefato ser ativado, isso para expandir o fogo no caso de algum nobre cidadão pensar em apagá-lo. Caminhamos decididos e com os antigos em nossa mente, em nossos bolsos portávamos amuletos pagãos de guerra concedidos pelos espíritos do Desconhecido. Abandonamos o artefato de maneira indiscriminada em plena rua, ao lado de uma fileira de carros. Acendemos o pavio com tranquilidade e desaparecemos do lugar sigilosamente. Embora não pudemos saber os danos causados porque não lemos nada na imprensa local sobre o incêndio, sabemos que o artefato foi ativado, porque uma vez longe do lugar, escutamos a explosão. O pavio artesanal funcionou corretamente e o fogo acudiu a nossa chamada. Aí fica o nosso presente à normalidade e estabilidade da pacífica noite civilizada…

Nesta ocasião o fogo consumiu alvos materiais porque assim desejaram os nossos egos, mas foi também um atentado em que carbonizamos os valores humanistas que regem a vida civilizada, impondo nossa vontade autoritariamente acima das propriedades dos cidadãos anônimos e destruindo o binominal bem-mal para elevar sobre as ruínas os nossos interesses egoístas. Não se sabe quando e onde voltaremos a aparecer, não se sabe qual artefato esconderemos então e se nosso objetivo será material ou humano… que os espíritos nos guiem nesta guerra!

Força para os irmãos e irmãs terroristas da Máfia em América e Europa!

Força também para a Célula Fogo Selvagem e para todos aqueles que atentam anonimamente! E recordamos ao terrorista das 7 bombas, Mark Conditt, com especial respeito!

A Máfia se expande com a tempestade… temos o caos em nossas mãos!

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Espanha

– Criminosos Animistas

[MÉXICO] Comunicado 51 de ITS — Ouroboros Silvestre

Floresta - Eco-extremismo - Bosque - Amazônia - Indígenas - Terrorismo - Ecologismo - Niilismo - Misantropía - Individualismo - Ecologia - Guerra 75.jpg

Comunicado 51 de ITS, desta vez desde o México, onde Ouroboros Silvestre reivindica a detonação de artefatos explosivos improvisados no Estado do México.

Bombas e terror contra o civilizado!

Adiante Máfia ITS na América e Europa!

_________________________________________________________________________

Voltamos a sair com a segurança que nos distingue e com o Selvagem ao nosso lado, confeccionamos os nossos artefatos explosivos improvisados na escuridão e envolvidos da ancestral fumaça do *copal que utilizavam nossos ancestrais para “limpar” o ambiente próximo.

Desta vez nos dirigimos a dois objetivos nas periferias do asqueroso Estado do México, o primeiro um restaurante Toks na avenida López Portillo (limite entre Tultitlán e Coacalco). Ali deixamos, hoje, 18 de abril, antes do amanhecer, uma bomba composta de latas de gás butano e um detonador artesanal, tudo amarrado com arame recozido.

Esperamos apenas alguns minutos e uma bola de fogo de aproximadamente três metros se fez presente junto a um som infernal que retumbou vários metros ao redor. As janelas do restaurante ficaram moídas por nosso atentado. Este ataque realizamos justamente na frente da central de controle de videovigilância municipal, demonstrando que nem suas putas câmeras, nem seus cidadãos modelo, nem seus policiais de merda podem prevenir nem deter nosso desejo terrorista de destruição.

O segundo artefato abandonamos dentro de um caixa eletrônico do Banco Azteca na mesma avenida (limite entre Coacalco e Ecatepec) quando já havia amanhecido, novamente burlando os esquemas de segurança e as câmeras de vigilância públicas e privadas.

Este banco atacamos porque nós quisemos, em nossas motivações não vão discursos chatos com carga política, nem pseudo-críticas econômicas, simplesmente o atacamos porque o objetivo esteve ao nosso alcance, para zombarmos da civilidade escravizada e para saciar nossos egoístas instintos de ataque. Não importa que tenham sido silenciadas as nossas bombas, de qualquer forma temos mais materiais para detonar e causar destruição e feridas!

As detonações de hoje vão em recordação maldita do terrorista solitário Mark Conditt.

baz-320x315

Foto do alvo atacado um dia depois. É possível ver que o explosivo derrubou a parte frontal do banco. Também se observa um carro negro da polícia investigativa próximo custodiando o alvo.

Força para os grupos de ITS na América e Europa!

Ânimo para os misantropos e atentadores incorretos!

Com o Selvagem do nosso lado:

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Estado do México

– Ouroboros Silvestre

* Copal é uma espécie de resina fossilizada. Muitas culturas indígenas no México usam o copal fresco como incenso, usado durante limpezas da energia e curas da aura e durante o temazcal, ou cerimônia do alojamento do suor.

 

[CHILE] Comunicado 50 de ITS — Horda Mística do Bosque

Reivindicação de mais um indiscriminado ataque à bomba no Chile perpetrado pela impune Horda Mística do Bosque, desta vez contra uma universidade.

Ânimo e força para os guerreiros de ITS!

_________________________________________________________________________

Outra vez deixamos os nossos refúgios para nos dirigir ao abismo da ação eco-extremista e misantropa. Nós nos lançamos em sua profundidade e conversamos com os seus espíritos habitantes, eles nos aconselham, se alegram e nos aplaudem. Sim, nos aplaudem porque sabem que nem todos tem a vontade e a quantidade de sangue nas veias para visitá-los. Alguns poucos são os que conseguiram ver seus rostos de Caos e formosura, seus corpos de ação que ainda inspiram aqueles que permanecem na superfície. Sabemos que cedo ou tarde nossos espíritos se unirão à eternidade abismal. E quando ali habitemos, aconselharemos e aplaudiremos aos que se atrevam a se jogar e voltar…

Partimos com nossos espíritos encomendados ao Desconhecido, ao Invisível, ao Inominável. Com a bênção da Terra caminhamos pela cidade com a carga explosiva nas costas, com o mecanismo que deseja a ignição e o sangue do inimigo. Andando entre os mortos com o Caos nas mãos, cautelosos nos movemos, descansamos em nossos cúmplices e armas mocadas.

Reivindicamos misantropicamente o abandono de um pacote-bomba nas imediações da Universidade Católica Silva Henriquez (General Jofré 462), na sexta-feira, 13 de abril. Nosso pacote-explosivo sem mensagem estava dirigido principalmente a qualquer estudante imbecil, e estava direcionado também a algum curioso transeunte. Ansiávamos a explosão sanguinária e mortal para qualquer humano, e não nos importávamos com quem fosse, se era pobre ou rico, mulher ou homem, criança ou velho. Com isso deixamos claro também que qualquer inepto e desagradável estudante, de qualquer ramo teórico, de qualquer corrente política é e será um alvo para as ações da Máfia ITS.

Nosso niple de aço cheio de pólvora negra aparentemente não detonou (ainda). Talvez foi parar no lixo e algum dia arrebente os dedos de algum gari ou quem seja. O importante é que as intenções eco-extremistas seguem intactas. A série de atentados de ITS no sul não se detém diante de nada, nem ante as investigações da inteligência chilena nem ante as últimas condenações por terrorismo. Nós, a HMB-ITS, os verdadeiros terroristas, andamos livres, selvagens e na impunidade. Cagamos em andamos para suas novas leis antiterroristas. Nosso caminho egoísta e misantrópico continuará, apesar das adversidades. O som da explosão ou o incêndio os avisará, não tenham cuidado. Somos a ameaça invisível, cautelosa e paciente, somos a máfia ITS.

Pretendíamos com esta explosão inundar de Caos novamente o sul. Não sabemos porque será, mas o sul está calmo ultimamente, parece que alguns se assustaram com a condenação de Flores, mas não nós, e esta tentativa indiscriminada de ferir as pessoas demonstra isso.

Nosso atentado vai em nome de todo o Selvagem da Terra, em nome de seus ciclos e manifestações terríveis para a civilização. O Desconhecido nos chamou alguns dias antes, seu chamado passou despercebido por todos, mas não por nossos corpos, nós escutamos essa mensagem do Selvagem, esse movimento da Terra nos despertou e nos sussurrou ao ouvido: “agora, por meu espírito, atentem”. E assim foi, em seu Nome nos atiramos…

Nosso atentado vai também ao espírito de Mark Conditt. Sim, em seu nome vai nossa tentativa, para ti, guerreiro indiscriminado, por sua gloriosa morte e vida. Suas bombas e sua coragem são um exemplo para os individualistas como nós. Guerreiro Mark, nos vemos no abismo! Seu espirito enaltecemos e procuramos reviver com cada explosão! Em seu nome nos atiramos….

“(…) Honestamente eu preferia estar rodeado por um denso bosque do que de tanto ser humano fedorento e imundo (…)” – Mauricio Morales

Por hora, é tudo. Voltaremos quando menos esperem. Seguiremos pelo caminho indiscriminado contra o mundo civilizado. Dando vida à ITS por mais de dois anos seguimos livres e impunes evitando todos os seus aparatos de inteligência. Já não são mais niples artesanais, já não é pólvora de fósforo, já não são apenas facas, não! Nossos corpos estão íntegros para o que virá, que o Oculto diga quando seja…

Guerra à civilização, à raça humana e ao progresso!

Pela Terra e por nossos Egos, adiante irmãos da máfia na América e Europa!

Glória eterna ao Guerreiro Mark Conditt!

Individualistas Tendendo ao Selvagem

– Horda Mística do Bosque

 

Da Tocaia surge o blog Maldição Ancestral!

Muito se passou nos últimos meses nas terras de Pindorama e por isso as atividades propagandísticas tiveram que ser detidas por algum tempo, mas isso jamais significou uma rendição, coisa que nunca acontecerá, muito pelo contrário, significou o maior aperfeiçoamento possível destas atividades, e não só delas como o tempo dirá… em Tocaia nós, os Individualistas Terroristas, maldizíamos a todo o progresso humano e ao próprio (humano!) e preparávamos O Nosso para o regresso. Com a paciência dos Antigos e a cobertura do Oculto e do Desconhecido caminhávamos tanto pelas podres cidades como pelas Florestas, aguardando que o momento chegasse para ressurgir como um terremoto. Sabíamos que a semente havia sido plantada nestas terras do Sul e a flor do submundo continuava crescendo, e a certeza absoluta disso foram acontecimentos que, se for o caso, serão um dia aqui mencionados. Houve uma dispersão e passadas certas ocorrências, se consolidou a reorganização para dar seguimento ao que agora é o sucessor direto do blog Tocaia Eco-extremista, o difusor lusófano Maldição Ancestral. O novo projeto terrorístico é um esforço de Individualistas para dar sequência a propaganda eco-extremista e niilista terrorista em língua portuguesa através da difusão de materiais neste idioma, além de também ser um canal de difusão de comunicados extremistas contra a civilização e a todo o progresso humano, assim como contra esta própria raça.

Este blog marca certamente o início de uma nova fase eco-extremista nestas terras, a começar pelo seu nome. Maldição Ancestral é o resgate extremo de todo o Antigo para ser impactado contra tudo o que é humano, para que este se despedace e desapareça junto com as suas construções e inovações tecnológicas, é a invocação máxima da Maldição dos Antigos contra o avance de todo o civilizado, é a Crença Suprema no Inumano, no Inominável, no poder do Desconhecido e do Oculto e sobretudo na supremacia da Natureza Selvagem frente às criações humanas, este é Maldição Ancestral, palavras Nossas e sobretudo atos de guerra nunca antes vistos desferidos pelos Individualistas afins dispersos por estas terras e para além delas.

Juntamente ao retorno do blog alguns Individualistas afins garantem também o seguimento da Revista Anhangá e tão logo a sua segunda versão que contará com mais de 100 páginas sobre a teoria e prática eco-extremista, niilismo terrorista e conteúdos relacionados, além de garantirem também o lançamento de materiais audiovisuais.

Durante este tempo seguiu-se o avanço imparável do eco-extremismo e do terrorismo misantropo que chegaram a novas terras como a Grécia, o berço da civilização ocidental, ao Reino Unido, local utra-vigiado, mas pouco intimidatório para os Nossos, e por que não… Estados Unidos? (Glória à Mark A. Conditt!) bem como o seguimento dos atentados de ITS e afins no México e afora, assassinando e causando Terror, além de danos. É importante mencionar também o seguimento da marcha que traça o fim das crenças utópicas e humanistas, ela seguiu com força enojando a mais e mais ex-utopistas que buscavam construir um “mundo novo” (ânimo e vingança, Tripa!). Vimos o crescimento da misantropia e extincionismo assim como a destruição do humanismo, submergindo este mundo-morto ainda mais ao Abismo Destrutivo do Caos. Portanto, o antigo blog morre e nasce Maldição Ancestral, mas a Tocaia segue, extremista como sempre foi. Regressamos para nos juntarmos novamente ao Maldición Eco-extremista e a outros blogs afins à Máfia e a outros grupos extremistas caóticos. Ressurgimos desde as sombras para propagar, exaltar e incentivar a mais e mais atos terroristas contra aqueles que danam à Terra, contra os malditos que constrangem os Espíritos da Terra, contra os que profanam a toda a Beleza. Reaparecemos para enviar forças aos Individualistas Caóticos que se lançam ao conflito mortífero e egoisticamente atentam sem maiores preocupações a não ser com si próprios. Guerra!

Guerra à civilização, ao humano e a seu progresso!

A Tocaia segue…

Maldição Ancestral blog.

Delações em cadeia… Sim, claro, na Cidade do México!

Tradução ao português realizada por Anhangá da carta do ex-anarquista Mario Lopez Tripa refletindo e fazendo duras críticas à “cena” anarca já morta no México. Tripa fala sobre algumas coisas que lhe aconteceram desde que lhe sucedeu um acidente com um explosivo que portava além de falar também de sua vida prófuga e o mar de merda anarquista que integrantes da cena-morta tem disparado contra a sua pessoa, principalmente delações e fofoquinhas, e não só a ele, mas contra alguns outros indivíduos que são excessão dentro deste abismo de lixo que é a doutrina anarquista moderna.

Tanto no México como em outras partes do mundo o anarquismo moderno tem desabado sob a sua própria estrutura que é recheada de hipocrisia, traições, delações, dupla-moral, covardia, acomodação, espetáculo, exibicionismo, delírios messiânicos-utópicos, falsa solidariedade, drogas e outras posturas nojentas, e Tripa que foi vítima desta “cena” decidiu fazer a sua primeira declaração pública sobre o assunto e promete outras mais. Tal qual como Kevin Garrido no Chile e vários outros, temos visto mais e mais anarquistas (ou ex-anarquistas) manifestarem-se contra esta “cena” e romperem com os seus valores e moldes, distanciando-se de tudo o que representam e partindo para um outro patamar de conflito, longe disso tudo, mas nunca sucumbindo e dando seguimento à guerra. Queremos dizer que igualmente a Maldición Eco-extremista nós do blog Maldição Ancestral declaramos também cumplicidade a Tripa e faremos todo o esforço possível para traduzir ao português e difundir as suas manifestações.

Seu comunicado serve tanto para o México como para o Brasil, Chile ou qualquer outro país do mundo onde a doutrina anarquista tenha passado. Aqui neste lado do mundo o anarquismo que já nasceu morto jaz há tempos, apodrecendo mais e mais a cada dia, também recheado de tudo que foi mencionado e das mesmas coisas que enojou a Tripa, portanto MISANTROPIA E NATUREZA SEMPRE!

Ânimo prófugo criminoso!

Pela ruptura das crenças tradicionais e pelo conflito misantropo!

Maldição Ancestral blog.

_________________________________________________________________________

Durante muito tempo temos dito que o anarquismo moderno está podre, que esta doutrina política está caindo por seu próprio peso e isso não é mentira. Já faz algum tempo que evidenciamos que a suposta “solidariedade” implementada por certos grupos “anticarcerários” é mais que uma mentira hipócrita, que a “fraternidade” e “camaradagem” são puras merdas ditas da boca para fora, e que o feliz (sarcasmo) movimento se baseia na delação, na dupla-moral e nas aparências superficiais de seus representantes mais importantes (com exceção de alguns exemplos honrosos). Desta vez fazemos pública a carta do individualista Tripa do México. Suas palavras e sua vida agarrada à conflitividade é um destes honrosos exemplos.

Tripa que era uma das pessoas mais comprometidas do movimento anarco no México aparece para esclarecer muitos aspectos de sua situação (distanciando-se da “vitimização ativista”), revelando a merda na qual está submersa a cena anarca não só no México, mas internacionalmente…

E antes que os juízes anárquicos comecem sua cerimônia de caça às bruxas queremos dizer que Nosso apoio sempre estará com os individualistas que rompem com estes moldes convencionais de “lutas” e que mesmo vendo-se “isolados” de seu próprio movimento e “companheiros”, lançam-se ferozmente contra seus inimigos, demonstrando sua coerência individual.

Assim como na época fizemos com o individualista Kevin Garrido no Chile, hoje, desde Maldición Eco-extremista, declaramos nossa completa cumplicidade com o mano Mario Lopez Tripa, que mesmo em fuga segue seu caminho incansável de confrontação.

Ânimo prófugo criminoso!

Hoje como ontem gritando aos 4 cantos:

MISANTROPIA E NATUREZA SEMPRE!

Maldición Eco-extremista blog

_________________________________________________________________________

Carta Pública de Mario Lopez Tripa

“O que se interponha em nosso caminho, derrotaremos”.

Antes de mais nada, uma enorme e cordial saudação.

Faz pouco mais de cinco anos e meio que acidentalmente me explodiu uma das bombas que eu portava. Felizmente era a bomba menos poderosa e que seria destinada aos escritórios do partido político PRD (a outra seria para uma das sedes do PRI. Naquele momento não me importava merda alguma qual partido político fosse, se tivesse existido o Morena igualmente eu teria atacado sua sede). Foi na noite de 26 de Junho do ano de 2012, apenas um dia depois do meu aniversário. Os policiais investigativos que me custodiavam no hospital diziam que o melhor presente que eu pude me dar foi o acidente.

A razão pela qual me explodiu a bomba, motivo que até agora havia sido um mistério e uma fofoca no interior do movimento anarquista e do espectro insurrecionalista que, segundo a vox populi, oscilava entre “ter feito uma bomba ruim ou sob pressão ou que a pessoa de nome Felicity Ryder e eu fazíamos competições sobre quem colocava mais bombas e por isso me explodiu (fofoca que até os dias de hoje circula nos círculos anarquistas do D.F., e que unicamente trouxe coisas prejudiciais a mim), que explodi a bomba intencionalmente, etc.”… não foi outro motivo a não ser o seguinte: que acionei a bomba em um lugar inadequado, ou seja, que a acionei próxima a um transformador elétrico, portanto, ao passar por debaixo deste o campo eletromagnético que emerge foi suficiente para esquentar o filamento da lâmpada de 1,5 volts e isso detonou a dinamite em pó. A segunda bomba não explodiu porque naquele momento eu ainda não havia conectado o interruptor-circuito. Mas este erro foi devido a uma distração que eu tive, uma distração que jamais perdoarei ou ignorarei.

Agora sim vocês podem dormir tranquilos, o dilema está resolvido, não há mais nada que dizer a respeito.

No entanto, esta carta não é apenas para esclarecer porque me explodiu a bomba, mas também para notificar a audiência de telespectadores anarquistas sobre uma situação que tem acontecido ao longo destes anos que tenho estado fora do alcance da justiça do Estado. Sem mais delongas, trata-se de uma delação, uma de muitas, usando o exemplo que irei expor para arrancar a reflexão ou a ação energética sobre aqueles que não precisam ser minimamente torturados para delatar a companheiros anarquistas ou fofocar sobre eles para assim colocá-los em um risco latente.

Há duas coisas que discutirei nesta carta, comunicado público, choro ou o que você quiser chamar. Desculpe se parecerei arrogante, duro ou agressivo, mas literalmente estou cagando para o que pensa a respeito; estes qualificadores serão atribuídos dependendo de seu estado de humor, de seus sentimentos de inferioridade, de sua baixa auto-estima, de seus preconceitos, de sua ideologia de merda ou de sua maneira de ver as coisas que irei expor, de sua perspectiva ou sua crítica concentrada. O que passará é que pouparei conversa fiada e irei direto ao assunto.

Delações em Cadeia

Bem, já faz mais de um ano que um indivíduo anarquista que durante os últimos anos da época dos anos 90’s até a metade do ano 2000 esteve preso por causa de um “crime comum”, em um par de assembleias abertas (pelo que eu sei, realizadas no interior da Biblioteca Social Reconstruid), afirmou que a Cruz Negra do Distrito Federal disse que “os compas que estavam em fuga (referindo-se a Chivo e a mim) estávamos apenas passeando de (disse o lugar) a (disse o outro lugar) com o dinheiro que nos era dado em apoio, para que com isso pagássemos nossas viagenzinhas do México a países da América Central, ida e volta.

Antes de mais nada quero deixar claro que NÃO me consta que a CNA emitiu tal afirmação delatora, mas SIM me consta que estas palavras saíram da boca deste indivíduo que é amigo e companheiro da CNA-DF e me consta não por uma, mas por várias versões de diversas pessoas que nem se conheciam entre si, mas que estavam presentes naquelas assembleias abertas. E eu sei disso porque o conheço e sei que tipo de pessoa ele é.

Antes disso, tenho algumas coisas a dizer, sempre assumindo o risco existente ao fazer este tipo de esclarecimento de maneira pública. Embora no fim das contas um companheiro preso ou em fuga tenha que dizer coisas que de alguma maneira possam prejudicar nem sempre é sua culpa como muitos querem ver, mas é uma responsabilidade coletiva que cabe ao movimento anarquista, já que graças a alguns bocudos, muitos compas se sentem e nos sentimos pressionados a emitir tais respostas -especialmente quando os que compõem o “movimento” anarquista e pior, o espectro insurrecionalista, não fazem nada em relação a este tipo de infâmias e este tipo de indivíduos. A maioria dos insurrecionalistas passam o tempo escrevendo slogans em seus comunicados pomposos e realizando ações para não perder seus postos na cena-espetáculo, mas quando se trata de usar armas para dar uma lição nos delatores e faladores ninguém faz nada, ninguém faz nada pelo simples fato de que todos são uns acomodados, de que lhes importa muito suas imagens, status, a imagem de seus grupos anarco-punks de música revolucionária e coisas do tipo. Então, onde fica a chamada Solidariedade Revolucionária da qual tanto falam os insurrecionalistas? A Solidariedade Revolucionária se reduz unicamente a comunicados, explosões de bombas e expropriações ou ações chamativas para tornar visível o micro-mundinho irreal anarquista?

Aqui está o que tenho que dizer:

Primeiro. Dinheiro de quem que andamos gastando? De seus amigos da CNA-DF que te protegem? Quando diabos você me deu algum dinheiro para que eu colocasse algum alimento em minha boca? Você sabe o que disse? Se tinha essa dúvida, porque você nunca me enviou uma carta pessoal, covarde de merda!!!!!??? Covarde de merda que nunca disse nada na minha cara e fica falando merda de mim quando sabe que não me é tão fácil te colocar no seu lugar? Por que quando soube que eu sabia ao invés de botar a cara você foi para Guadalajara fingindo estar em Tijuana e vice-versa e com certeza seus guarda-costas te ajudaram a ir aos EUA. Saiu correndo com medo de quê? Além do mais, por muito tempo eu (não sei o Chivo) não recebi nada do movimento anarquista a não ser pura merda, muito menos dinheiro.

Segundo. Este tipo de papinho só põem em perigo os compas em fuga ou na prisão, porque independente do que seja verdade ou não, as informações passadas sempre criam uma reação de delação em cadeia, já que uns falam e outros reproduzem, mas no final tudo se deforma e cai em informações que podem unicamente ajudar a polícia a localizar os companheiros em fuga ou engordar os registros e investigações contra companheiros na prisão.

Não satisfeito em dizer estas coisas sobre nós dois (sobre Chivo e eu) este cara fala sobre alguns indivíduos que no passado, isto é, na minha vida “legal”, foram meus companheiros de luta (entendendo isso como uma diversidade de maneiras de intervir) e vida. Este cara os acusa de “pegar dinheiro do grupo (xs compas) para nossas viagenzinhas”. Esquecendo que a fuga é sempre um movimento constante -mesmo que seja para ir às compras em Chiapas para depois vender algumas roupas usadas- Tais declarações obviamente colocam em risco aqueles indivíduos que desde que eu parti nunca mais voltei a vê-los e muito menos soube deles. Os põem em risco uma vez que essas falações e “indiretas” podem produzir uma investigação contra estas pessoas por obstrução de justiça, uma investigação que, embora parta de uma investigação própria do Estado, eles a poderiam assumir como uma consequência da luta, mas uma investigação assim não poderia ser assumida como tal quando esta tem como raiz a jactância de um indivíduo que quer se destacar entre os demais jovens e impressionar as garotas.

O que fazer com indivíduos como o deste caso? Como lidar com eles ou fazê-los refletir? Teremos que retornar aos velhos códigos revolucionários ou a reflexão é suficiente?

Felizmente, hoje, tenho ânimo apenas para descrever esta situação, no entanto, há muitas, mas muitas situações e muitos indivíduos e indivíduas que ao longo destes anos, desde que me explodiu a bomba e desde que eu fugi, não fizeram mais nada a não ser falar coisas que colocaram eu e a outras pessoas em risco, não fizeram nada além de inventar fofocas, falar merda…. mas não me desanimo muito porque a cada problema uma solução e pouco a pouco as coisas vão brotando.

Por último uma anedota, espero que lembrem-se

Poucos dias antes de eu partir de minha cidade encontrei a uma de minhas advogadas (neste momento eu ainda estava em uma situação “legal”, isto é, não estava em fuga da justiça do Estado, esclareço!!!). Ela me disse que dias antes foi ao Tribunal Federal (que ordenou minha segunda prisão no dia 20 de Janeiro de 2014) para solicitar uma prorrogação de mais alguns dias para que eu comparecesse para assinar. Durante essa visita, a juíza, além de cordialmente me convidar a comparecer por vontade própria disse-lhe que eu já estava bem fodido (ela utilizou esta palavra) já que após a minha detenção duas mulheres de nacionalidade espanhola tinham ido falar com ela e haviam dito tudo sobre mim, haviam falado tudo (eu realmente não sei o que é “tudo”) e tinha me “afundado”. Em um primeiro momento nós duvidamos já que esta “info” vinha de uma servidora do Estado. Posteriormente, na paranoia, pensamos que foram as compas Amellie e Fallon que no meio do que aconteceu, que foi muito forte, disseram coisas (que na verdade eu não sei o que poderiam realmente dizer), mas, finalmente, depois de dar muitas voltas sobre o assunto, buscar informações, analisar, recordar, comunicarmo-nos com estas compas e pedir-lhes honestidade, mas acima de tudo, ver as coisas com claridade após o que me sucedeu desde que fugi e a merda que por três anos certas pessoas fizeram da minha vida em fuga, fomos certeiros e hoje posso afirmar com toda certeza que não há mais a menor dúvida de quem foram essas caguetas, de quem se trataram, quem queria que eu me fodesse… quero dizer, no caso de que a senhora juíza não estivesse mentindo para minha advogada, bem… no fim das contas qual é a diferença na hora de tentar descobrir quem está mentindo, se é um juiz ou um anarquista?

Tomem esta anedota como um prelúdio para minha próxima carta na qual farei uma humilde reflexão individual sobre minha militância, mas acima de tudo, uma crítica da luta anarquista insurrecional na intensa época em que vivi.

“Quando a neve cai e os ventos brancos sopram o lobo solitário morre, mas a manada sobrevive”

Atenciosamente:

Mario Lopez “Tripa”.

Desde algum lugar neste mundo doente. Misantropia e natureza para sempre!

10 de Fevereiro do ano de 2018