[ARGENTINA-CHILE] Comunicado 62 de ITS – Seita Sangue Vermelho e Horda Mística do Bosque: Declaração Conjunta e Ataque Frustrado

Desde as terras do sul se desata uma rede entre cúmplices eco-extremistas, uma prova irrefutável de que a Máfia cresce e persiste em suas negras intenções. Saudamos os manos da Seita Sangue Vermelho, novo grupo de ITS, que fazem a sua apresentação com um ataque incendiário indiscriminado que foi silenciado.

Adiante, individualistas!

I. SSV

Um só caminho nos trouxe até aqui, não há outras possibilidades. Encontramos nossa verdade, manifestação única e final da potência do nosso ego. Longe das mentiras e dos enganos dos tolos.

Vamos abrir um portal para o outro lado, subiremos? Não! Iremos fazer parte de algo mais.

Vamos fazer do resto da humanidade nossos escravos, subordinados a autoridade máxima da pólvora, do fogo, das facas e das balas. A morte reivindica as suas presas, somos nós os emissários.

Os Deuses sombrios querem enviar uma mensagem. Eles nos mandam à guerra. A bomba, a arma dos astutos e dos canalhas é nossa ferramenta exclusiva.

Pelo estado chileno estivemos afiando os punhais junto a nossas afinidades nos últimos anos. Entre conspirações e cumplicidades cruzamos com ITS. Na ação se materializa a verdade das potencialidades e nisso pudemos corroborar, depois de quase dois anos concluímos uma etapa cheia de experiências nutritivas para o ego extremista, com toda certeza podemos dizer que as interações criminosas entre Mafiosos valeram a pena e hoje desatamos oficialmente esta conspiração transandina, no marco da conspiração internacional e transcontinental contra o progresso humano. Hoje nos desprendemos da nutrida Horda Mística do Bosque para reclamar uma identidade própria, ITS-Argentina, Seita Sangue Vermelho (SSV).

Podemos afirmar com o peito inflado de orgulho que os esforços dos canas para nos deter desde aquele verão de 2017 seguem sendo inúteis. Nem a nós nem a Horda puderam pisar os calcanhares. Nem próximas passaram as suas repetitivas e humilhantes tentativas, e não acreditem que alguma vez em fuga nós cruzamos com vocês. Somos movidos por um chamado apaixonado que mantém nosso sangue correndo e nossos dentes cerrados, então é melhor seguir o seu fluxo e acatar as suas ordens, é isso que nos toca. O constante movimento também nos nutre e nos livra da estagnação. Dizer mais é desnecessário.

Hoje só procuramos o sangue como meio para transcender o humano, cada ferida que geramos nos separa deste plano. Cada passo nos aproxima do nosso objetivo desejado, o sangue e a morte. Buscamos negar a humanidade através do ataque amoral, mas não qualquer ataque. Nós jogamos nos corredores do esquecimento os simbolismos da práxis, vemos o ser humano individual, a cada um, como a materialização concreta do ideal Humano que dita que é precisamente esta espécie, nossa espécie, a que domina sobre a terra, o final e também o começo. Cercado pelo mundo do efêmero o espécime humano só consegue ver a si mesmo a onde quer que olhe. A extensão material do antro preenchendo a superfície terrestre, assim a ilusão é sustentada.

Começamos a caçada humana que entre sonhos e vigílias nos levará a nossas presas, deixando uma bomba incendiária na porta de uma casa qualquer no bairro de Villa Devoto. Quisemos que o fogo penetrasse a estrutura e que sua magnitude engolisse os habitantes, mas sem notícias, achamos que não foi bem assim.

À morte nós oferecemos a nossa coragem, mas não o sangue desta vez. A lâmina aguardará pacientemente.

É necessário uma união terrorista como a nossa dar razões para seus ataques? Não poderíamos, em termos ideológicos, explicar o que nos conduz, e embora as palavras soltas saiam de nossas podres bocas. Não é a boca, não será, serão as mãos e os pés, cérebro, coração, carne, tripas e o que pudermos concretar. Isso dará conta do que somos.

Guerra, sangue e decadência, já não resta mais nada.

II. HMB

Somos as sementes do eco-extremismo que germinaram nas férteis terras do sul, terras que há tempos vem sendo testemunha do surgimento de ferozes individualistas. Não nos esquecemos de como há anos atrás experimentávamos com o fogo e conseguíamos queimar estruturas. Esse caminho ficou para trás, mas o revivemos com orgulho.

Já hoje desde as sombras temos conspirado para gerar mortos e feridos, com nossos irmãos de sangue temos desferido contundentes golpes. Inéditos atentados deixaram em ridículo o governo inteiro, já outros ficaram apenas em terríveis intenções. Nós continuamos com o caminho do caos e terror que começamos com o incontrolável fogo. Seguimos testando e planificando, ratificando cenários e calculando rotas de fuga, fazendo conexões e inventando recipientes…

Nosso caminho até aqui como ITS-HMB tem sido repleto de maravilhosas experiências, acompanhados e rodeados de valiosíssimas cumplicidades. Chegou o momento de reconhecer a importância que tiveram (e tem tido) em nosso caminho os ITS “originais” do México, porque o aceitamos com orgulho. Estes irmãos desde o início nos seduziram com as suas afiadas palavras e seus contundentes atentados. Desde aqui tão longe no sul os agradecemos por forjar parte de nosso caminho, por nos estremecer a alma com cada novo comunicado de Reação Selvagem e por nos fazer voar com estas estupendas edições da Revista Regresión, repletas de todas estas contribuições teóricas vitais que nos nutrem até os dias de hoje. Irmãos, estejam tranquilos que seus pensamentos viajaram e se espalharam até o fim do mundo, aqui criaram raízes e estão perseverantes na guerra. Fizemos nossas as suas motivações nesta guerra contra o progresso humano e o mundo civilizado. As suas ideias foram incorporadas em nossa mente e decidimos enaltecer com orgulho estas míticas siglas. Siglas incorretas e perversas que marcaram a diferença entre a rebeldia anti-sistêmica e a guerra extremista contra a humanidade.

Com tudo contra, conseguimos continuar com a expansão das ideias extremistas afins pelas diferentes partes do sul. E assim, depois de ter sido nós os infectados pelo germe extremista, chegou o momento e a oportunidade de levar nosso vírus além das fronteiras por cima das geladas montanhas dos Andes. Mas desta vez não foi apenas pela palavra, não foi somente pela incrustação de ideias em mentes afins, não. Desta vez, fomos um passo adiante e transportamos a infecção em carne e osso. É por isso que desta forma e através deste comunicado conjunto tornamos pública a rede de eco-extremistas que é tecida no sul. Assim, de uma vez por todas, desencadeamos oficialmente a operação consistente na propagação da tendência eco-extremista.

Como bem escutaram, do outro lado da cordilheira já estão ocultos alguns ex-membros da Horda Mística do Bosque, é assim como os irmãos regressam à sua “pátria mãe”. Lá, agora no meio da pútrida civilização argentina estão alguns de nossos irmãos prontos para o que venha, com as mesmas intenções que tinham por aqui, com os mesmos conhecimentos, habilidades e materiais.

À vocês, irmãos de sangue que decidiram corajosamente empreender esta fuga de volta a suas terras distantes para continuar com a guerra ancestral. Para vocês vai toda a nossa força em seu novo projeto criminoso. Esperamos vê-los novamente para rir satânicamente como fizemos quando entramos na FCFM da Universidade do Chile, tal como uma vez rimos em um ônibus depois de deixar um artefato, isso jamais será esquecido. Tampouco esqueceremos que graças à sua distração no campus naquele dia conseguimos sair são e salvos.

Não menos importantes foram aquelas noites sem lua que iluminamos apenas com o fogo. As estrelas destas noites são as mesmas que seguimos vendo agora e que por aí vocês veem. Dormir com o coro dos grilos e o som do rio nos leva outra vez àqueles momentos. Por aqui não vamos recuar, seguimos persistentes com os atentados.

Assim nos despedimos, com o coração inchado de tristeza e os olhos cheios de lágrimas desejamos o melhor em seu caminho por aí, irmãos. Esperamos nos deleitar com seus atentados em terras argentinas. Que os espíritos dos antigos continuem protegendo-os por aí. Nos vemos no brilho da lua e no resplendor do sol. Daqui continuamos a ouvir seus uivos, nós estamos conectamos espiritualmente e esta conexão nada nem ninguém pode quebrar. Que a energia da cordilheira nutra nosso vínculo. De oceano a oceano, ligados e unidos até o dia de nossa extinção.

Irmãozinhos, nós seguimos deste lado da cordilheira, nossas explosões serão nossa saudação cúmplice.

Pela propagação da tendência eco-extremista e niilista misantropa!

Adiante com a guerra grupos de ITS e afins!

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Argentina
– Seita Sangue Vermelho

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Chile
– Horda Mística do Bosque

PCC Planejava Mega Ataque Terrorista Indiscriminado Com Carros-Bomba Nas Cinco Maiores Capitais do País

Replicamos aqui uma reportagem da imprensa sobre o plano interceptado da maior facção criminosa do país, o PCC, de cometer grandes atentados indiscriminados nas cinco maiores capitais do país. O grupo planejava explodir em Brasília prédio do Depen (Departamento Penitenciário Nacional), cometer ataques com carros-bomba nas cinco maiores capitais do País; sabotar as redes nacionais de transmissões de energia elétrica; sequestrar, torturar e matar agentes penitenciários federais. Os cinco carros-bomba com 50 quilos de explosivo C4 cada um seriam deixados em locais de grande circulação de pessoas para que as explosões matassem indiscriminadamente a maior quantidade possível de civis para então pressionar as autoridades do país a atenderem às suas exigências.

Os editores da Revista Ajajema já fizeram uma abordagem do PCC na edição número 4 da revista. Não importa que as suas motivações sejam contra o sistema carcerário, sentimos grande afinidade com estas caóticas intenções e nos alegra saber que um dilúvio de sangue esteve prestes a acontecer em decorrência de um mega atentado indiscriminado, longe de qualquer moral, longe de qualquer ética.

Que os planos caóticos dos criminosos terroristas não se desvaneçam!

PCC planejava ataque terrorista e colocar culpa no rival Comando Vermelho

Vida Loka (primeiro à esq. abaixo) e Tiriça (terceiro) integram a liderança do PCC | Foto: Reprodução

Facção criminosa paulista pretendia atacar seis diferentes cidades do país com carros-bomba; integrantes se inspiraram na guerrilha colombiana Farc

Explodir o prédio do Depen (Departamento Penitenciário Nacional), cometer ataques com carros-bomba nas cinco maiores capitais do País; sabotar as redes nacionais de transmissões de energia elétrica; sequestrar, torturar e matar agentes penitenciários federais.

Esses foram os planos terroristas arquitetados pelo PCC (Primeiro Comando da Capital) dentro da Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia, em represália à suspensão das visitas íntimas nos presídios federais.

Segundo a Polícia Federal, a meta do PCC era cometer os ataques neste mês, no período eleitoral, mas reivindicar a autoria dos atentados em nome do rival CV (Comando Vermelho) para se eximir das eventuais responsabilidades criminais. Antigas aliadas, as facções estão em guerra desde 2016.

Agentes da PF apuraram que os planos terroristas foram arquitetados pelos presos Abel Pacheco de Andrade, o Vida Loka, Roberto Soriano, o Tiriça, e Wanderson Nilton de Paula Lima, o Andinho.

Vida Loka era monitorado pelos agentes desde junho de 2017, quando suas conversas com Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, foram interceptadas com autorização judicial na Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Ação tinha como objetivo cobrar o Governo Federal para as reivindicações da facção | Foto: Reprodução

Nos diálogos, Beira-Mar diz a Vida Loka que as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e traficantes ligados ao cartel de Pablo Escobar usavam carros-bomba em ataques terroristas e também sabotavam as redes de transmissão de energia para alcançar seus objetivos. Dias depois dessas conversas com Beira-Mar, Vida Loka foi transferido para a Penitenciária Federal de Porto Velho, mas não deixou de ser monitorado.

Ainda segundo a PF, vários bilhetes escritos por Vida Loka e Andinho foram apreendidos nas caixas de esgotos da unidade prisional e exames grafotécnicos realizados por peritos constataram que as letras eram de ambos.

Os bilhetes apreendidos indicavam que Vida Loka, Andinho e Tiriça planejavam usar um carro-bomba com 50 kg de explosivo plástico C-4, o artefato com maior poder de destruição, para derrubar o prédio do Depen, em Brasília. A ideia dos presos era detonar os explosivos utilizando um dispositivo de acionamento à distância.

Além de Vida Loka (à esq.) e Tiriça, Andinho (à dir.) também planejava os ataques | Foto: Reprodução

Depois do ataque, um integrante do PCC se encarregaria de ligar para as forças de segurança, para assumir a autoria do atentado, mas em nome do Comando Vermelho, facção que já foi aliada e que hoje é a maior rival da organização paulista.

Além dos bilhetes apreendidos, agentes federais também monitoravam conversas de Vida Loka, Andinho e Tiriça com outros presos durante o banho de sol no presídio.

Segundo a Polícia Federal, as mulheres dos presos também estão envolvidas na ação criminosa e tinham a função de informar os detalhes dos planos terroristas e de pedir apoio logístico aos demais líderes do PCC presos na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, no interior paulista.

O PCC chegou até a montar uma “casa de apoio” em Porto Velho para manter os planos terroristas em andamento.

O objetivo da facção era explodir o prédio do Depen em represália à suspensão das visitas íntimas nos presídios federais, em vigor desde julho de 2017, e em protesto à instalação do aparelho de scanner corporal na unidade prisional.

Além de sabotar redes de transmissão de energia, o PCC planejava usar outros cinco carros-bomba, cada um com 50 kg de explosivo C-4, em ataques nas cinco maiores capitais brasileiras. A onda de atentados terroristas ocorreria agora no período eleitoral e seria uma forma de forçar o Governo Federal a atender as reivindicações da maior facção criminosa do Brasil, com 10 itens (confira abaixo).

Documento em que são listadas as 10 reivindicações do PCC | Foto: Reprodução

A Polícia Federal pediu a internação de Vida Loka, Andinho e Tiriça no RDD (Regime Disciplinar Diferenciado). Os três também tiveram a prisão preventiva decretada e foram enquadrados na lei de terrorismo.

Eles são apontados como integrantes do mais alto escalão do PCC e, segundo o Ministério Público de São Paulo, na hierarquia da facção estão abaixo apenas de Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, apontado como o líder máximo da organização. Ele nega ser integrante do grupo.

Vida Loka, Andinho e Tiriça já cumpriram pena na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau e foram um dos primeiros integrantes do PCC a serem removidos para presídios federais.

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal não pediram a prisão das mulheres dos três. Porém, elas estão proibidas de visitar os maridos, como forma de coibir a troca de informações com os mesmos.

EXÉRCITO EM PRESIDENTE VENCESLAU

As forças de segurança também investigam uma possível ação de resgate de presos na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, onde está recolhida a liderança do PCC.

Há rumores de que tropas do Exército, deslocadas de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, vão desembarcar nas próximas horas na cidade para reforçar a segurança. A reportagem não confirmou oficialmente esta informação até a publicação da matéria.

Na última quarta-feira, o juiz-corregedor da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, Gabriel Medeiros, determinou a interdição, por 20 dias, da pista do aeroporto municipal, que fica a dois quilômetros da unidade prisional. O clima na cidade é de tensão. Agentes penitenciários foram orientados a redobrar a cautela.

O governo do Estado mandou para a cidade vários homens da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) e do Comando de Choque, unidades de elite da Polícia Militar.

Na manhã deste sábado (13/10), a Polícia Civil de São Paulo realizou uma ação nas pensões onde ficam hospedadas as mulheres que visitam os presos no final de semana.

As ações ocorreram nas cidades de Presidente Bernardes, Martinópolis e também em Pacaembu. Os policiais procuram bilhetes endereçados aos presos.

Em Martinópolis, duas mulheres foram presas e com elas apreendidas cartas destinadas aos detentos, além de drogas.

[INDONÉSIA] Massacre Ancestral: Mais de 2.000 Mortos

Havia sido informado dias antes em ME sobre o terremoto e posterior tsunami que afetou uma das ilhas da Indonésia. Fomos testemunhos da completa superioridade da Terra sobre a civilização, de como a Natureza Selvagem desatou toda a sua vingança contra os assentamentos da humanidade. Havíamos informado e o faremos outra vez, para regojizar-nos com a desgraça humana, para regojizar-nos com o Caos único da Terra.

Naquele momento havia sido informado 500 mortos e a cifra agora ultrapassa as 2 mil vítimas humanas fatais. Lembramos também que houve uma erupção vulcânica, tornando mais magistral a mensagem de desolação e impotência da humanidade ante a esmagadora força da Terra.

Salve à Caótica Natureza Selvagem!

Pela fúria das erupções, dos terremotos e ondas gigantes!

Transcrevemos parte de uma nota da imprensa, como registro do Caos:

“É por isso que fugiram às pressas para as colinas mais próximas. Foi isso que fez Melsi Pangalo. A jovem já está há cinco dias à sombra de uma árvore junta a uma extensão de um monte de escombros, madeiras e móveis onde antes era sua aldeia: Loli Saluran. Sobre sua perna está dormindo o seu filho de dois anos.

“Todos saímos correndo para as montanhas. Passamos seis horas lá e depois descemos. Então descobrimos que quatro pessoas que não haviam fugido morreram. Uma era minha avó. Ela tinha 60 anos e não podia correr”, relata.

Os manguezais secaram e a costa -antes propícia para o banho- está repleta de árvores arrancadas, postes de eletricidade e restos de todos os tipos.

Quem anda pelo porto pode dar de cara com meia dúzia de barcos encalhados ou submersos, e um -o Haji Anti Ismael- embutido no meio das ruas. “Nós estávamos ancorados a vários metros da costa e quando o tsunami chegou, ele nos empurrou contra a cidade”, diz gritando da embarcação, que segue usando como abrigo temporário.

Recorda que as ondas começaram a balançar o navio de pesca de forma violenta. Ele e os outros quatro membros da tripulação se agarraram ao mastro e começaram a gritar “¡Ala Uakbar! ¡Ala Uakbar!” (“Deus é grande”). “Eu pensava que todos nós iríamos morrer”, acrescenta.

No bairro de Tanjun Gato, perto do mar, morreram cerca de 40 pessoas. Uma dúzia delas, crianças que estavam em um colégio que acabou sendo engolido pelo mar.

A área é uma sucessão de habitats semi-afundados no oceano. Um prédio de quatro andares está totalmente escorado em meio à água, à espera de outra réplica que acabe com o que começou o movimento sísmico.

“Uns 20 a 30 metros de litoral sucumbiram com o terremoto. Um armazém, uma estrada… Desapareceram com a água. Antes na praia a água chegava até o seu joelho. Agora não há praia, mas um desnível de 30 metros.”, diz Wawan Tuliabo, de 26 anos.

O rapaz descreve uma área em que novas casas foram construídas ganhando espaço ao mar. Foi o mesmo terreno que ele voltou a recuperar no dia 28.”


[RÚSSIA] Satanistas Reivindicam Queima de Antiga Igreja em Karelia

Não há dúvidas de que os eco-extremistas são apenas uma das muitas encarnações do mal na era moderna. Todos estes males para a vida civilizada são para nós motivo de alegria e regozijo. Que o fogo satanista siga crescendo e consumindo os restos da decadente fé cristã! Que queimem os Neo-cristãos anarquistas e com eles toda a humanidade!

Moscou (Asian News) – Em 10 de Agosto a Igreja de Assunção foi incendiada em Kondopoga, na Karelia, região norte da Escandinávia na Rússia. O edifício do século XVIII parece ter sido incendiado por um garoto de 15 anos, que provavelmente sofria de alguma enfermidade mental, que queria “se tornar famoso no mundo”, segundo os policiais que o interrogaram. O menino estava em contato com uma seita satânica.

A igreja era um monumento protegido pelo estado, e foi completamente destruída pelo fogo, por isso os especialistas acreditam que não há esperanças de restaurá-la. Era uma Igreja Ortodoxa localizada em um penhasco do grande lago Onega, e construída em 1774 com as típicas características nórdicas, com uma aparência especial de carpa e uma altura de 42 metros. Era chamada de “a canção do cisne” da arte russa em igrejas de madeira, da qual apenas algumas espécimes podem ser encontradas, espalhadas ao longo do país, sendo uma dúzia no parte arqueológico da cidade de Sudzal.

As seitas satânicas se espalharam imediatamente após o fim do comunismo na Rússia, embora alguns acreditem que estiveram ativas desde 1980 nos ambientes mais extremos da dissidência juvenil. Mais que a influência da cultura do Rock, proibido em épocas soviéticas e duramente condenado pela Igreja Ortodoxa, o Satanismo russo revela elementos de protesto contra a Igreja nacional. Em suma, a inspiração anti-cristã natural, os Satanistas criticam a Igreja por ter colaborado com o regime “satânico” dos Bolcheviques, e são justificados pela necessidade de uma “revolução” espiritual. O culto a Satanás seria então um mundo para “se purificar” da falsa religião soviética.

No país, acredita-se que entre 50 e 100 mil pessoas pratiquem cultos Satânicos. O Ministério do Interior começou a investigar e intervir em suas atividades desde 2003, classificando-as como “seitas destrutivas” dedicadas ao esoterismo e a magia negra. Não é incomum que adolescentes emocionais acabem sob sua influência, como o que colocou fogo na Igreja em Kondopoga.

Uma Igreja Satanista Oficial

Ainda sim, há quase dois anos existe uma Igreja Satanista registrada oficialmente em Moscou. A data do registro (10 de Maio de 2017) é lembrada a cada ano como o “Dia do Satanismo Russo”. É singular que os Satanistas tenham adotado a legislação russa logo após a aprovação da “Lei Jarovoj” em 2016, a provisão que limita e efetivamente previne que seja professada a fé em qualquer esfera pública sem que se adira rigorosamente às normais da lei.

Ao serem entrevistados pelo site 66.ru, os Satanistas Russos, nas palavras de seu líder chamado “Oleg Sataninov”, declaram ter decidido “sair do armário” em 2013 e que pretendem formar uma organização estritamente religiosa, seguindo os ditames da Constituição Russa. Foi apresentado um documento na “Fundação da Doutrina Satanista”, com seus próprios mandamentos, a lista de pecados e símbolos da Igreja Satanista, tais como a cabeça de uma cabra rodeada de letras mágicas do alfabeto de Enoch. Os membros da organização normalmente mantém reservas sobre sua filiação, mas estão espalhados por toda a Rússia.

Os Satanistas Russos garantem que não são dependentes, ou que sequer estão ligados à Igreja de Satanás nos Estados Unidos. Eles não traduzem literatura do inglês ou de outros idiomas, mas produzem livros em russo, embora geralmente sigam os princípios da Bíblia Satânica publicada na América por Anton LaVey, em 1969. Eles não tem templos de adoração, mas usam edifícios disponíveis graças a membros do grupo de tempos em tempos, e negam a acusação de realizarem sacrifícios humanos. Sobre este assunto, se distanciam dos “adoradores malvados”, que acreditam ser simplesmente “cristãos inversos”.

Ainda não se sabe qual seita e que ritual motivou o ataque incendiário dos adolescentes em Karelia, ou se a destruição de Igrejas é uma prática recomendada pelas autoridades do Satanismo Russo, de forma oficial ou clandestina. Certamente, era uma prática habitual do ateísmo militante dos comunistas soviéticos.

Por Vladimir Rozanskij

[BRASIL] Comunicado 63 de ITS – Sociedade Secreta Silvestre: Sobre os ‘Anarcops’ da 325 e Seus Consortes

Resposta da Sociedade Secreta Silvestre aos anarcops caguetas da 325 e demais envolvidos.

Vão queimar a língua!

“Disparei uma bala em sua boca pelas mentiras que dizia, e outra na mão por causa das coisas sujas que escrevia.” – Jacques Mesrine, sobre o sequestro de um jornalista francês.

Pela última vez os anarco-frades se pronunciaram contra nós eco-extremistas com a intenção de nos prejudicar de alguma maneira. Vocês da ONG 325 e seus consortes pagarão caro pelas delações contra a suposta pessoa por trás do teórico eco-extremista Abe Cabrera que sequer faz parte de ITS e por difamar e tentar entregar informações de Misanthropos Cacoguen à polícia do Reino Unido. Olho por olho, dente por dente.

Cada um de vocês por trás deste conluio possui o espírito de Jacob Ferguson (1) encarnado em seus corpos. São humanistas do pior tipo, daqueles que até mesmo seus próprios “compas” deveriam desconfiar já que tendem à traição, do tipinho de X9 traidor que colabora afetivamente com a polícia no caso de uma investigação, do tipo lunático que expõe e difama quem se atreva a criticar ou superar a fracassada teoria e “práxis” do cadáver da anarquia. Que saibam que aqui no Brasil a primeira das leis que impera nas favelas e na malandragem das ruas é “nunca caguetar”. Jamais há perdão, cagueta paga com a vida. A traição e a delação são comportamentos repugnantes onde quer que seja, inclusive entre os anarcos, e o que fizeram terá um preço. Há quem entre vocês condene em qualquer hipótese a delação, mesmo quando envolva inimigos ou discordantes. Quem não se lembra do que houve durante o desmantelado plano de fuga dos terroristas da CCF quando um tipinho de gente igual a vocês chamado Christodopoulos Xiros falou contra membros da dita guerrilha? Eles se posicionaram contra a atitude cagueta (2):

“Pelo menos nós, com nossas “práticas como as da máfia” nunca traímos as nossas ideias e a nossos companheiros, mesmo quando houveram pessoas presas e acusadas de serem membros de nosso grupo, sem ter nada a ver com isso, mesmo que não consideremos alguns deles companheiros, ou até mesmo consideremos alguns deles como nossos inimigos pessoais, a única certeza é que não houve um cagueta ou um traidor entre eles.”

Não duvidamos que entre os seus próprios companheiros vocês encontraram pouco apoio no que fizeram. E como vão os estudos para o concurso público da polícia, anarquistas? Quem diria, os revolucionários abolicionistas e anti-carcerários tentando enviar dissidentes à prisão. Recordam os stalinistas enviando os divergentes aos gulag. Vocês envergonhariam os verdadeiros anarquistas que voaram pelos ares vários militares nos séculos 19 e 20. Já dizia o velho Bakunin que ‘se desse poder a vocês ficariam pior que o próprio czar’. Nossas diferenças resolvemos entre nós mesmos sem envolver autoridades policiais, em conversações ou com a violência. Mas vocês “anarcops” optaram pelo caminho mais sujo. Terão então que lidar conosco da pior forma. O mais recente eco-terrorista jogado na prisão pelo FBI foi Joseph Mahmoud Dibee (3), agora a patrulha paraestatal de anarcops se esforça para enviar algum dos nossos para trás das mesmas grades. Esta simbiose entre polícia e anarquistas é algo que apenas o anarquismo moderno é capaz de proporcionar.

Claro, não é só vocês que sabem de segredos. Se optarmos por delatar anarquistas certamente alguns companheiros de vocês cairiam nestas terras. Temos em nossas mãos o poder de responder com a mesma moeda, mas não o faremos porque não somos miseráveis como vocês. E não sejam idiotas, ITS-México se posicionou duramente contra Scott Campbell e John Zerzan porque eles estavam pedindo quando encheram as suas bocas para falar merda. Agora vocês tentam nos atingir fazendo o que fizeram. Já que vocês querem mandar os nossos para a cadeia, enviaremos os seus para o mundo dos mortos.

O que os move contra nós é o desespero, já que a “nova anarquia”, “anarquia negra” ou qualquer outra baboseira que queiram chamar, fracassou, aceitem isso e ponto. Qualquer um sabe que há um forte mal-estar dentro da “cena anarquista” internacional e cada vez mais indivíduos e indivíduas de coragem tem rompido com o utopismo bobo sem esperar por dias melhores, por algum tipo de “colapso” ou se iludindo com os já ultrapassados contos de fadas revolucionários e humanistas em prol da “humanidade”. Estes idiotas de 47 cromossomos tem um arsenal infantil de adjetivos para berrar contra qualquer um que demonstre simpatia com ITS e como eles já não tem mais o que escrever contra nós agora apelam ao ridículo, como foi o caso do blog “Instinto Cristiano” (porque de selvagem ele não tem nada) que replicou (4) uma publicação que taxa os manos de ITS-México de “Nazi-Astecas” (Mas que diabos é isso?? Estes colunistas esquerdistas não tem mais o que inventar!). Por aqui no Brasil o que seríamos? “Nazi-Tupinambás”? É apenas uma questão de juízo moral arraigado em vocês missionários libertários. A Cruz Negra anarquista deve ter ficada confusa quando o ex-comungado Kevin Garrido soltou uma bomba em apoio a ITS (5). Mario Lopez Tripa foi outro quem ateou fogo à batina de vocês (6). Aliás, tenha sangue em seus olhos, Kevin. Apesar da condenação, mantenha-se firme, o seu dia chegará. E Tripa, estamos com você para cobrar estes miseráveis.

No Brasil o cenário não é diferente, e recentemente um tal Núcleo de Oposição ao Sistema (NOS) após alguns ataques em São Paulo fez um “chamado” para uma “união e luta contra o sistema” (7). Sério? Estes esquerdistas foram bem inocentes ao tentar nos “convocar” para a sua “luta” ridícula que é incoerente até para eles mesmos ao pedirem entre as suas “reivindicações” a libertação do ex-presidente Lula, político da esquerda que em seu governo solidificou o atual “sistema”. Mas que diabos de grupo anarquista pede a libertação de um ex-presidente? Para contrapor à “ameaça Bolsonaro” e fazer como a Frente Popular na Espanha em 1936 que tentou barrar a ascensão da direita? As justificativas são duvidosas.

Sabemos que há por aí muitos esforços sinceros para se discutir o eco-extremismo e aprofundar não só a crítica eco-extremista, já houveram muitas conversações e escritos nos últimos anos. Ultimamente os interessados estão sendo coagidos por um complô de idiotas que condenam duramente qualquer menção à Tendência e os colocam numa espécie de lista negra de “ex-compas corrompidos por eco-extremistas”. Este é um esforço anarquista para barrar a qualquer custo a expansão da teoria e prática eco-extremista. O caso mais recente e que merece a sua exploração veio de um autor britânico eco-anarquista que publicou um interessante artigo sobre “violência descolonial e eco-extremismo” que foi apresentado durante a Anarchist Studies Network Conference, na Universidade de Loughborough. Em menos de uma semana os fiscais anarquistas o criminalizaram com base nas leis morais do que é aceitável ou não dentro da esquerda (o autor foi vítima do que ele mesmo aborda no artigo) e o fizeram excluir a publicação (8) e em seu lugar divulgar uma nota de esclarecimento (9). Claro, uma situação como esta não poderia passar despercebida. Nós temos o texto e o divulgamos neste comunicado para qualquer um que queira lê-lo e discuti-lo, acesse-o aqui. A publicação “Paper On Decolonial Violence and Eco-Extremism For 2018 ASN Conference” pode ter sido excluída mediante “coerção dos libertários”, mas possuímos o seu conteúdo na íntegra. O autor explica também que um dos motivos para ter apagado a publicação é a sua segurança (na verdade, o pressionaram com a ideia de “segurança”), mas com um texto como este a esta altura os seus únicos inimigos são os inquisidores anarquistas, e não por haver ameaçado a anarquistas como fez ITS em seu trigésimo primeiro comunicado (10), mas por ter racionalizado de maneira inteligente a cerca da moralidade e da violência terrorista. Um trecho da nota de esclarecimento “Avoiding Misinterpretation” (Evitando Interpretações Erradas):

“Eu entendo que discutir os aspectos mais feios da civilização é algo que é muito desconfortável para muitas pessoas e eu posso entender porque as pessoas não gostam que eu faça isso. Acredito que, se quisermos reagir de alguma forma às fealdades com que somos confrontados, primeiro precisamos reconhecê-las, discuti-las e não desconsiderar ou tentar ignorar. Isto parece-me verdadeiro, independentemente de estarmos ou não a falar do ISIS, eco-extremismo, do complexo militar-industrial capitalista, agricultura totalitária ou de qualquer outro contexto”.

Os esquerdistas estão presos em algum tipo de realidade paralela onde o que quer que façam ou aprovem em suas auditorias morais é correto e aceitável (FLT, MEND, Ted Kaczynski, CCF, YPG, Baader-Meinhof, Rote Zora, Zapatistas, Luta Revolucionária, etc.) e o que quer que façamos é errado, é “fascismo!!!” (com ênfase). No mundo dos adultos onde as coisas são levadas a sério a teoria e prática eco-extremista do extinto Reação Selvagem e de ITS foi muito bem discutida por diversos grupos e indivíduos interessados. Os Selvagistas publicamente já admitiram que a teoria eco-extremista contribuiu para o derrubamento do mito revolucionário que estava presente dentro do Selvagismo (11). A teoria eco-extremista também contribuiu com a crítica anarquista e ex-anarquista no Chile, Argentina e México. Aqui no Brasil sabemos que também foi seriamente discutida em outros estados. Nos Estados Unidos e Europa a discussão e a contribuição também foi grandiosa em diversos círculos. E anarquistas do “tipo 325, IGD, Voz Como Arma e Instinto Salvaje” surgem e unicamente ainda tem a coragem de berrar “fascistas!!!” e condenar irracionalmente qualquer coisa que os teóricos da Tendência ou interessados escrevem ou dizem? A única palavra para isso é demência. Como dito anteriormente, estão desesperados com o fracasso do anarquismo moderno e a expansão do eco-extremismo. O mesmo autor eco-radical condenado por anarquistas devido o seu artigo apresentado na ASN Conference já havia publicado no ano passado uma opinião respeitável em torno das ações de ITS intitulada “Eco-Terrorism, Eco-Fascism, Eco-Extremism, Eco-Anarchism and the Białowieża Forest(12). Um trecho interessante deste texto:

“Posso simpatizar com esta crítica aos anarquistas por parte deste escritor eco-extremista no que diz respeito à fraqueza dos argumentos anarquistas, onde os anarcos simplesmente chamam “fascista” tudo o que não gostam, algo que parece estar acontecendo.”

Uma prova cabal de que estes anarquistas são dementes é que se pegarmos a definição de fascismo não há absolutamente nada haver com o que defendemos, ou seja, é delírio o que dizem, tudo é dito de maneira extremamente emotiva. Ao invés de rediscutirem os seus métodos e as suas teorias, nos dedicam livros e colunas inteiras de calúnias e gritos “fascistas, fascistas, fascistas!”. Se Steffen Horst Meyn morreu (13) ninguém menos que os anarquistas presentes no local foram os culpados já que estavam há 20 metros de altura em seus inúteis e ultrapassados tree sitting enquanto o Bosque de Hambach aguarda pelo seu fim. Bloqueios, sitiamentos de árvores, cartazes, tudo isso já demonstrou ser completamente ineficaz há anos e só tem fichado e jogado aos montes os ecologistas na prisão. Apesar do aval moral dos esquerdistas, os descendentes do MEND são terroristas e fazem as petroleiras recuarem no Delta do Níger, na ilha de Bougainville o que os nativos praticaram foi terrorismo e conseguiram destruir as atividades da mineradora Rio Tinto Zinc. O que os Mapuche tem feito para defender as suas crenças pagãs e as suas terras ancestrais no Chile é terrorismo. As santificadas CCF são puramente terroristas. Por mais que demonizem este conceito, é terror puro. A diferença para o nosso terrorismo é apenas o alvo e o método indiscriminado, já que para nós o problema não é mais apenas a sociedade tecno-industrial e seu progresso, mas a própria humanidade. Mas vocês praticam o terror com a fé cega mirando um novo e inalcançável ser humano, com a esperança numa espécie de Éden anarquista para esta catástrofe de quase 8 bilhões de criaturas antropocêntricas insaciáveis. Isso é estúpido. E no fim das contas será que são realmente bem seletivos? E a morte de Sergio Landskron? E os vários depoimentos de civis que quase foram dilacerados por estilhaços das bombas das CCF? E a explosão numa estação de metrô de uma Escola Militar no Chile? E o trabalhador morto numa farmácia incendiada numa marcha no Chile? Estes “casos inconvenientes” são varridos para debaixo do tapete vermelho da moralidade e jamais são reabertos. Vocês são uma incoerente vergonha universal.

O arrependimento por tentar nos prejudicar será amargo, aguardem.

Adiante, teóricos eco-extremistas!
À caça ITS nas Américas e Europa, porque por aqui faremos a nossa parte!
Saudações, Guerrilha Lixo!

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Brasil
– Sociedade Secreta Silvestre

Notas:

1. https://animalliberationpressoffice.org/NAALPO/snitches/
2. https://publicacionrefractario.wordpress.com/2015/04/02/valio-la-pena-intentarlo-nada-ha-acabadotodo-continua-diptico-en-solidaridad-con-la-huelga-de-hambre-de-la-conspiracion-de-celulas-del-fuego-marzo-2015/
3. https://earthfirstjournal.org/newswire/2018/08/11/alleged-elf-and-alf-fugitive-joseph-dibee-arrested-after-12-years/
4. https://instintosalvaje.org/ee-uu-egoismo-vs-los-aztecas-nazis-del-eco-extremismo/
5. https://es-contrainfo.espiv.net/2016/11/28/prisiones-chilenas-escrito-del-companero-kevin-garrido-desde-la-carcel-santiago-1/
6. http://maldicionecoextremista.altervista.org/es-en-delaciones-en-cadena-si-claro-en-mexico-city/
7. https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2018/07/07/nos-comunicado-1/
8. https://ecorevoltblog.wordpress.com/2018/09/23/paper-on-decolonial-violence-and-eco-extremism-for-2018-asn-conference/
9. https://ecorevoltblog.wordpress.com/2018/09/25/avoiding-misinterpretation/
10. http://maldicionecoextremista.altervista.org/mexico-trigesimo-primer-comunicado-individualistas-tendiendo-a-lo-salvaje/
11. https://www.wildwill.net/blog/2016/07/12/revisiting-revolution/
12. https://feralculture.blog/2017/07/30/eco-terrorism-eco-fascism-eco-extremism-eco-anarchism-and-the-bialowieza-forest/
13. https://bosque.hambachforest.org/blog/2018/09/21/comunicado-de-prensa-20-09-2018-muerte-tragica-en-el-bosque-de-hambach/

[CHILE] Reivindicação de Incêndios e Ataques

Cumplicidades incômodas continuam surgindo como erva daninha.

Adiante, incorretos!

“Para mim a raça humana deveria ser aniquilada, e de fato, até nós mesmos, dado que considero que o ser humano é o maior inimigo da natureza. Como agente destrutivo é o mais nocivo do planeta e, portanto, merecemos o nosso próprio extermínio.”
– Maurício Morales

“Os que dormem também regem o mundo”
– Sebastian Oversluij

Terremotos, erupções vulcânicas, furacões e tsunamis ocorrem ao redor do globo, lembrando o quão insignificante é x humanx ante as forças caóticas naturais. As crises (humanitárias, econômicas, ambientais, etc.) avançam tão rápido como a maldita tecnologia e tudo segue o mesmo rumo em direção ao homninício total. Isto é uma guerra entre a civilização Winka e a Ñuke Mapu. Nós nos reconhecemos como animais antes de humanos, e nos COLOCAMOS em pé de guerra contra a nossa espécie, sendo uma manifestação a mais do caos natural e cósmico.

É por isso que através deste texto nos responsabilizamos pelo abandono de um artefato incendiário no trajeto 226 do Transantiago em direção a Providencia no dia 3 de Outubro do lado de fora do Campus “Juan Gomez Milla”, ao anoitecer. Também reivindicamos a utilização de resíduos da sociedade do consumo para a sua confecção (são materiais contaminados com inúmeras amostras de DNA), então convertemos o seu lixo em nossas formosas armas artesanais. No entanto, desconhecemos a sua ativação. De qualquer maneira, se o nosso presentinho não liberou o grande fogo consumidor, algumx humanx percebeu a sua presença, gerando pânico e horror…. o terrorismo psicológico também é uma arma contra a normalidade aniquiladora. Bem como disse a Célula Deflagrante Gerasimos Tsakalos: “nossas intenções eram e são claras, causar o maior dano possível”.

Aproveitamos também para nos responsabilizarmos pelo abandono de outro artefato de características semelhantes no trajeto 104 do Transantiago no bairro periférico de Puente Alta, em 12 de Dezembro do ano passado, que por dificuldades não alcançou a ativação, mas nós não nos importamos, não perdemos NADA hahaha, estamos felizes por adquirir experiências e não iremos parar, pelo contrário, ensiosxs estamos para INCENDIAR (o) todo.

A 30 ANOS DO PLEBISCITO, SE A ALEGRIA NÃO CHEGOU É PORQUE GANHOU O “SIM”!

UM PRAZER ATACAR SUAS “DEMO-GRACIAS”!

ADIANTE ANARCO-TERRORISTAS, NIILISTAS ATIVXS”, WEICHAFES INCIVILIZADXS, XS NOVXS E ANTAGÔNICXS GUERRILHEIRXS, CRIANÇAS COM TENDÊNCIAS SELVAGENS, EGOÍSTAS ICONOCLASTAS E ECO-MISANTROPXS!!

BEIJOS E ABRAÇOS PARA KEVIN GARRIDO!

LONGA VIDA AO CAOS!

– Guerrilha Lixo

[MÚSICA] Miasthenia

Extreme Pagan Black Metal com líricas pagãs e ancestrais. Abordam ritualismos pagãos, resistência indígena ancestral, o Desconhecido, culto à morte e aos Deuses, guerras, canibalismo, misantropia, anti-cristianismo extremo, herança e vingança ancestral, cosmologia pagã, submundo, animismo, Natureza Selvagem, supremacia ancestral, necromancia, primitivismo, caçadas e confrontos, etc.

Escuta o chamado…

Letra da “Sacerdote Jaguar”:

Guardiões do inframundo
Correndo de volta ao templo, guardando segredos primordiais
Resistência ancestral!

Em ritos fúnebres no templo da morte.
Sacerdote-jaguar celebrando deuses da morte

Libertando a alma do templo
Libertando seu grande espírito
Lealdade na escuridão

Evocando mortos em transe
Guiando seus passos para além do inframundo de volta ao mitnal,
Ao ventre da deusa, de fetos e larvas, de mortos esperando renascer no inframundo

Em ritos fúnebres no templo da morte.
Sacerdote-jaguar celebrando deuses da morte

Libertando a alma do templo
Libertando seu grande espírito
Lealdade na escuridão

Evocando mortos em transe
Guiando seus passos para além do inframundo de volta ao mitnal,
Ao ventre da deusa, de fetos e larvas, de mortos esperando renascer no inframundo

Metamorfoses espirituais da morte
Sublimes estágios de renascimento
Akbal guia o jaguar
Akbal corre em minhas veias

Unindo mundo opostos, potências celestes,
A alma dos mortos aos ancestrais
Chave do renascimento no mundo dos mortos
Forças ctônicas, ritos telúricos

Akbal guia o jaguar
Akbal corre em minhas veias

Guardiões do inframundo
Correndo de volta ao templo, guardando segredos primordiais
Resistência ancestral!

Em ritos fúnebres no templo da morte.
Sacerdote-jaguar celebrando deuses da morte

Letra da “Brumas Xamânicas”:

O Xamã Makú, da tribo de nômades caçadores da floresta Amazônica prepara-nos a mágica porção alucinógena de viagens sobre a cosmos e o passado sulamericano, sobre Nemep-wa Matas (Domínio das Sombras), risos obscuros de profanações ouvimos das Sombras, a vaguear nas florestas taciturnamente espionam os mortais, na vampírica busca do sangue. Livres no tempo em meio a danças e cantos, rituais poemas. Sob selvagens horizontes retorno à terra – alma de meu povo. Sem paz. Com as minhas armas defendo sua memória enterrada. Retorno à terra e dela retiro minhas, o canto dos mortos.

Glifos insólitos que habitam esta saga
A saga de uma guerreiro ancestral
As folhas caem num prelúdio
E sangue dos deuses é derramado…

Brumas Xamânicas!
Fogo e tempestade em suas veias
Delírios enfim de desumanos poderes…
Seu corpo a floresta pulsante
Seu sangue vestígio do tempo.

Quilla!!! Vejo um deus sem face
Caminhando entre as hordas de ataque
Rituais de nossos desejos
Cósmicos mistérios…

Brumas Xamânicas em prelúdio
Mitos de guerra, relatos do fim…

Vejo formas exóticas e a saga de um guerreiro ancestral
Numa confusa dimensão e o cérebro máquina em tirania
Um vermelho profundo escurece minhas visões…

Letra da “De Natureza Infernal”:

De infernal natura
Ritos obscuros de profanação
Pulsando na floresta na busca pelo sangue

Nós regressamos com ódio para o fim!!!

Sob o cosmos primordial
Visões de opulenta Serpente
Através do espelho do tempo anunciando
O resurgir da natura
De criaturas infernais!!!

Giramos sob o espelho do tempo
Onde o dia jamair ousou penetrar
Onde a Lua em luxúria copula com as sombras
No Trópico dos Pecados!!!

Clamam em sacrifícios humanos…
Para além dos ciclos da vida e da morte
Míticos espiritos ancestrais
Libertem!!!

Letra da “Guerra de Mixton”:

Nas montanhas de mixtón
Feiticeiras dançam
Ao redor do fogo
Contemplando os ventos que
Anunciam a sangrenta batalha

Anunciando a vida de Tlaloc
E de todos ancestrais ressuscitados
Ao rufar dos tambores
As hordas de Tlaloc
Se reúnem para o massacre
Tanamaxtle grande guerreiro
Se prepara para a batalha
Conduzindo as hordas bélicas
Da resistência

Tlaloc o senhor da destruição do “terceiro sol”
Evocando a chuva cósmica
Do universo que se revela
Nos códices sagrados
Ergue novamente o seu templo
Nas montanhas de mixtón

Expurgando os sacramentos
Incendiando igrejas
Matando missionários
Castigando os seguidores da igreja
Lançando a desgraça
O exército do vice-rei

A flecha de Tanamaxtle
Corre como o raio de Tlaloc
Reinando soberana nos campos de batalha

Tempestades de apostasia e profanação
Dilacerando a face do deus cristão
O paraíso de Tlaloc aguarda os
Guerreiros que caem sob as águas

Letra da “Deuses Da Aurora Ancestral”:

Autos-de-fé inquisitoriais
Vieram de além mar
Trazendo a cruz e a espada
Violando os altares ancestrais
Do “novo mundo”
Mas este novo mundo
Era tão antigo quanto o seu

Desde a escuridão de tempos primordiais
Uma raça de homens-deuses
Habitava o continente
A cidade dos deuses
Brilhava em sua glória
Sangue e corações humanos
Despejados em antigos cenotes
Deuses da aurora ancestral

Mas um dia os inquisitores chegaram
Empunhando a cruz e a espada
Disseminando a peste em seus sacramentos
Ergueram seus templos
Nas ruínas ancestrais

Mas os guerreiros do “novo mundo”
Resistiram bravamente
Ao cárcere da inquisição
Extirpação das idolatrias
Profanaram a cruz
Quebrantaran sacramentos

A fúria dos deuses austrais
Corre nas flechas de fogo
Eles correm para as montanhas
E ostentam os cultos ancestrais
Eles marcham para a batalha

E erguem seus poderosos machados
Golpeiam conquistadores
Sacrificam missionários
Imolam inquisitores
E atormentam sua alma

Deuses demônios da guerra e do fogo
Deusas guerreiras e rainhas soberanas
Marcas do anti-cristo
Ecoa em sua mente
Apostasia tribal
Ofuscando o sol da inquisição

Os tambores estão pulsando
Na escuridão da floresta
Os espíritos ancestrais
Dançam no círculo sagrado
Eles se tornaram imortais
E atormentam sua alma

Letra da “Rituais de Rebelião”:

Minha mente sobrevoa tempos ancestrais, onde rituais de rebelião permanecem em essência.. Guerreiros e Amazonas abraçam o ritual, unindo-se contra o invasor, semeando o medo e anunciando o desconhecido. Aos olhos do invasor que os teme por seus mistérios. Candelabros ardem em minhas visões. Perfumes de incensos desfilam pelo ar… Os poderes ancestrais se manifestam nesta noite…
No Vale das Sombras aguardamos a batalha Final, e após os mil anos destruiremos a Cidade Santa…Puro como a noite o mal se manifesta. O sol desaparecerá eternamente. E meus inimigos cairão!!!

Senhores do fogo e da terra!!!
Selando com a espada e o cálice este poema…
Guardiões da Torre do Sul!!!
Espíritos sombrios das florestas
Nós evocamos!!!

As chamas permanecem acessas
Evocando o centro de nosso ser
Destruindo e purificando
Pagã alquimia de nossos desejos.

Murmúrios de séculos
Rituais de rebelião

Envoltos em feitiços sabáticos
Visões de ancestrais paganismos
Taqui ongoy! A dança da enfermidade
Caminhando para a floresta
Nós bebemos do cálice
Celebrando a Grande Deusa… Quilla!!!

Letra da “Essência Canibalística”:

O pajem tupinambá anuncia o fúnebre ritual
Imolação e vingança, sangue, ódio e poder
Os deuses bestiais se manifestam na velha dança
Teoruira!!! Desprezando o deus inimigo…

Debe mara pa, xe remiu ram begue!!! (Que todo infortúnio
recaia sobre você, minha comida, minha refeição)
Nde akanga juka aipota kuri ne!!!
(Quero arrebentar sua cabeça ainda hoje)

Cauim e sangue, embriagues e êxtase
É o espírito imortal sorvido em crânios inimigos
Minha ira em cálices de morte…
Seu sangue é minha força vital
Sua morte o signo de minha vitória!!!

Eu vejo o mundo invisível ao seu redor
E o crepúsculo que anuncia uma Era de Sangue
E a profecia das Maracás desferindo o golpe mortal
O estandarte do eterno caos
A dinastia abismal forjada em ódio ancestral
Corpos descarnados, corações arrancados…

Desfrute da ceia triunfal canibalística
E sinta o despertar do espírito da águia…
Sinto a vitalidade selvagem
E a natureza infernal pulsando em minhas veias…
A inocência primitiva que habita a escuridão
A supremacia das Maracás, da idolatria pagã…

Letra da “Onde Sangram Pagãs Memórias”:

Outrora corpos animados de homens comandavam os exércitos,
conquistavam as províncias, possuíam os tesouros,
saqueavam os templos.
Exultavam no seu orgulho, sua majestade, sua fortuna,
sua glória e seu poder. Elas são esvanecidas, estas glórias,
como as terríveis fumaças vomitdas pelos fogos infernais do Popocatépetl.
Nada, salvo algumas linhas de uma página,
para as fazer voltar à nossa lembrança!
(Netzahualcoyotl, Rei de Texcoco)
Há séculos seus campos estão em chamas.
Os meridianos sangram suas memórias,
enquanto seus filhos brincam em jardins de mentiras,
celebrando o vazio, cultuando símbolos inimigos.

Somos totens supremos
Cavalgando nos confins do limbo
Aclamando com orgulho…

Fazemos entoar rumores de guerra
Uma supremacia perdida
e nossa horda de seres invisíveis
Em êxtases animistas blasfêmicos

Somos a tragédia em suas veias
Correndo para nossa fortaleza na intensa floresta
Derramando poemas em lágrimas
Memórias ancestrais…

Nossos corpos estão adoecendo
E lá onde os nobres descansam
Brilha mais uma pálida constelação
De nossos sonhos e pesadelos…

Dançando com minha sombra
Movendo-se na escuridão
Extravasando a fragilidade humana…

Celebrando o invisível em cálices da morte
E rasgando os véus que encobriram sua beleza
Vejo-lhe agora desfigurada
A beleza em rios de sangue correndo de sua face
Nossa Era… Caos…

Letra da “Soturna Selvageria”:

Ouça as derradeiras palpitações
De um coração que desfalece
Ali onde estilhaços de rocha emergem da imensidão
Onde correm os ventos do Sul.
Mundo esquecido que reina em silêncio
Refúgio fascinante de seres aterradores.

Beba do cálice e seus mistérios
Aqueles que não ousam devorar o fruto do conhecimento
E retornar ao estado selvagem da existência
Ouse e reinaremos em soturno legado

“Rostos sábios e corações firmes”
Guerreiros do Fogo
Somos herdeiros de uma Era de Gigantes
Quebrantando as leis santas da Mãe natureza
E os divinos preceitos do Pai
Nós renegamos o seu batismo…

E na noite dos tempos retornamos
Ao estado selvagem da existência
Rastejando como serpentes
Voando como águias…

Libertando para sempre o universo mítico pagão
Libertando para sempre o pesadelo escondido nas lendas

Letra da “Necromânticos Ritos de Guerra”:

Ao rufar dos tambores de guerra
E o sopro de flautas infernais
Pintamos nosso corpo para o massacre
Conduzindo escudos e armas

Recebemos o espírito da força
Evocado em sacrifícios humanos
O sacerdote vê o destino da guerra
No coração palpitante do inimigo

Necromancia…
Conduz-nos às trevas do tempo…
Flechas de fogo, canoas velozes e cantos de guerra
Unimo-nos ao círculo de sanguinárias guerreiras
Seres que habitam na escuridão

Filhos do Demônio aterrador
Violando a cruz e os dogmas
Erguendo o estandarte de força e honra pagã
Perdidos para sempre nas brumas da rebelião
Misantropia!!! Canibal!!!

A Cidade dos Mortos resplandece esta noite para a batalha
Megalíticas fortalezas mancham-se com o sangue inimigo
Agora os seres da escuridão alimentam sua honra e orgulho
Já não vejo mais aqueles que tentaram usurpar o meu trono…

Esta é a Era do Sangue!!!

Álbuns:

Miasthenia – Legados Do Inframundo

Miasthenia – XVI

Miasthenia – Batalha Ritual

Miasthenia – Supremacia Ancestral