[PT – VÍDEO] Catarse – Dias Melhores Nunca Virão

BAIXAR ÁUDIO

Recebemos esta mensagem e este impactante projeto por e-mail de alguém chamado “Erva Daninha”. Esperamos que com estes recortes a mente de cada ouvinte seja contaminada de extremo pessimismo e desejo de vingança. E desde já incentivamos as iniciativas propagandísticas misantropas e anti-humanas anônimas!

Adiante, individualistas propagandistas!

Este projeto é sobre o agora, o mesmo agora de há três anos atrás quando ele foi produzido e esquecido. Esta edição é sobre os gritos de dor de um planeta que morre pelas mãos de um animal chamado humano e indiferente com a beleza do mundo. Juntei todas as minhas forças naquele momento para reunir o que encontrei de mais grave e pessimista sobre a situação ecológica da terra, recortes que apenas afirmam que já acabou para o humano e a civilização, não há mais volta e ele será punido com uma catástrofe extintiva que o varrerá deste planeta. As águas, os solos, as florestas, os outros animais, todas estas coisas sagradas significam nada para o humano civilizado adorador da tecnologia moderna. Coisa alguma poderá mudar o curso que a nossa espécie traçou para si mesma. Não há esperanças nem revoluções, tampouco messias que poderá deter a catarse da natureza selvagem. Merecemos o nosso próprio extermínio porque miseravelmente brincamos de deuses sem possuir grandeza para isto. Os dias por virem são pessimistas porque nós fizemos do agora o fim. Não haverão dias melhores.

Erva Daninha.

Porque o Fogo Também é Natureza Selvagem

Interessantes palavras de Nomen Nescio a respeito do “Fogo”. O contexto destas palavras foi o gigantesco incêndio que atingiu o Chile em Fevereiro de 2017, logo após a invocação de Ajajema por eco-extremistas daquele país. A tradução foi realizada por Anhangá e serve de base para os ferozes incêndios que vêm açoitando a civilização nos últimos dias e meses.

Que a civilização arda até se converter em cinzas!

O Selvagem delas renascerá!

É desta forma que vemos uma vez mais como o Selvagem se impõe, desta vez foi com a fúria e violência do indômito Fogo.

Este contundente atentado do Selvagem contra a vida civilizada particularmente me enche de alegria. Me enche de alegria apreciar a desgraça que deixou em seu rastro. Me alegra ver as milhares de casas incineradas. Me alegra ver o terror dos humanos. Me alegra vê-los correndo apavorados diante da imensidão do Fogo. E me alegra saber sobre as mortes humanas.

Eu lamento pelos bosques nativos que sucumbiram à força esmagadora das chamas. Lamento a morte dos animais, de todos os pássaros e insetos selvagens. Sei que seus corpos se unirão à Terra, fertilizando-a para a próxima geração de árvores. Tudo isso eu lamento. Saibam que morreram por algo que é muito maior e mais poderoso que qualquer ser na Terra.

Saber que nem toda a sua mega-maquinária de aviões gigantescos foi capaz de apaziguar as furiosas chamas me alegra a alma. Saber que a única coisa que foi capaz de apagar o Fogo foi a própria Natureza Selvagem: através da Chuva. Com apenas alguns momentos de queda de água o Selvagem fez o que nenhum mega-avião pode fazer. Isso apenas reafirma a majestuosidade da Terra, de como os seus ciclos são onipotentes e impossíveis de evitar. Nada nunca será mais grandioso que a sabedoria eterna da Terra Selvagem. Porque somos regidos e estamos à sua mercê, ela sempre estará acima de nós. Nossa única e verdadeira autoridade é a Natureza Selvagem!

Que os humanistas sigam condenando e demonizando o maravilhoso Fogo. Que sigam se comovendo pela desgraça alheia. Que continuem a lutar sem sucesso contra o Fogo que ainda resta. Talvez o apaguem (provavelmente), mas saibam que o dano já está feito. Diante de tudo isso há apenas uma frase que vem à minha memória e que uma vez uma pessoa anciã me disse: “QUE O SELVAGEM SE ENCARREGUE DO SELVAGEM“.

Que assim seja, porque as montanhas têm a capacidade de se auto-regenerar, nascendo ainda mais belas que antes. Porque os insetos e outras espécies dos bosques voltarão a habitá-los. O que são para a Terra e o Selvagem algumas décadas? NADA.

Que arda tudo o que tenha que arder! Até mesmo o Selvagem!

Que os humanistas percam a vida ajudando a desconhecidos!

Eu rio de seu altruísmo hediondo e sua solidariedade promiscua…

[JAPÃO] Inundações Inumanas

Desta vez não foram tremores de terra; em meio a ondas históricas de calor a Natureza tem demonstrando a sua autoridade ante as criações humanas e se vingado e imposto terror e caos sob a nação tecnológica.

A região oeste do Japão experimentou nas últimas semanas cidades serem completamente engolidas por destrutivas enchentes que varreram bairros levando carros, humanos, animais, casas inteiras e o que mais ousasse estar no caminho das correntezas violentas. A água afogou com selvageria os sonhos de milhares de pessoas e deixou um saldo de mais de 150 mortos, sepultando em escombros o que restou das áreas atingidas. As chuvas torrenciais que chicotearam o país causaram também deslizamentos de terra e resultaram em dezenas de desaparecidos, submergindo não só em água, mas em desgraça a vida humana nas redondezas. É como se gélidamente dissesse “retroceda.” à nação altamente tecnológica que ousa a desafiar constantemente a força do Desconhecido.

O cenário catastrófico é não menos que uma manifestação feroz das energias do Caos contra o humano moderno, e do seu lado estamos e inclusive disso somos parte, da reação selvagem. Nos alegramos de toda esta desgraça à civilização e das centenas de mortes neste massacre.

A Natureza Selvagem seguirá cobrando-os, malditos!

Suas edificações irão ao chão e vida a humana perecerá frente a ira do Desconhecido!