Eles Não Te Convêm

Extraído e traduzido do blog Criminelle Et Sauvage. Tradução a cargo de Anhangá.

Não tente emaranhar a tua vida com ela, muito menos tente te apaixonar por ela, sinceramente, ela não te convêm.
Ela é um animal humano individualista e egoísta, ela se importa apenas consigo mesma.
Ela é seu próprio princípio e fim, ela é sua própria causa e, para ela, não há mais nada acima dela mesma.

Ela é a única, e a única coisa que verdadeiramente importa para ela é ela mesma.
Tudo o que ela pensa e faz é apenas para sua própria causa.
Ela pensa que é totalmente racional e natural que todas as suas tendências e atividades sejam dirigidas para a satisfação de seu próprio Eu.
Ela sempre busca seu próprio interesse sem criar relações de dominação ou engano.
Ela não se intromete nos interesses dos demais a menos que os demais se intrometam nos seus.
Ela se considera uma egoísta racional, crítica e detesta os “egoístas” que se entregam irracionalmente a seus caprichos; egocentristas ou antropocentristas = egoístas sem ego, segundo A.R.

Ele não te convêm, porque ele te utilizará apenas para seus próprios fins, e para a sua própria causa. Embora ele nunca mentirá para ti, enganará ou dominará. O respeito total à Liberdade Individual é um grande valor para ele.
Para ele, não é ruim utilizar os demais indivíduos, porque ele considera necessário para poder desenvolver uma vida verdadeiramente livre, tampouco se sente mal quando é utilizado.
Apenas reage violentamente diante da mentira, o engano e a dominação.
Ele pensa que utilizar os demais indivíduos é uma tendência natural de seu Eu, já que ele é um animal social e inevitavelmente necessita utilizar os demais. Ele também entende que os outros precisarão usá-lo.
Cada indivíduo, embora muitos estupidamente neguem; não se importa com ninguém mais além de dele mesmo.

Ela não te convêm, não perca teu único e valioso tempo com ela.
Ela só poderá te amar se tu te importa e ama apenas a ti mesmo, se tu é teu próprio princípio e fim, se tu é tua própria causa, se nada está acima de ti mesmo.
Ela só poderá te amar se tu representa fisicamente e mentalmente o que ela sempre amou, se tu é um egoísta que não se deixa levar por teus caprichos irracionais, somente se tu é Verdadeiro, Sincero e Livre.
“Para saber dizer “Eu te amo” primeiro há de saber dizer “Eu”.”A.R

Ele ama e defende sua Liberdade Individual para seu próprio interesse. Porque sua Liberdade Individual é uma habilidade natural para que ele possa desenvolver da maneira mais apropriada sua vida com respeito à sua natureza.
Ele ama, respeita e defende a autonomia dos mecanismos de auto-regulação da Natureza Selvagem para seu próprio interesse. Porque a Natureza Selvagem lhe dá vida todos os dias. Porque a Natureza Selvagem deve funcionar livre como tem sido por milhões de anos. Porque a Devastação, Domesticação e Artificialização sistemática da Natureza Selvagem afeta sua Liberdade Individual, afeta seu interesse e sua causa.

Ela te buscará por seu próprio interesse, já que os animais humanos são sociáveis por natureza. Ela não pode satisfazer importantes necessidades por si mesma, para ela seria muito difícil sobreviver solitariamente de uma maneira livre e natural.
Ela não pode reproduzir-se por si mesma, então ela inevitavelmente precisa usar outra pessoa para a sua própria causa, porque ela é um dos mais complexos seres vivos que habitam este planeta, e o objetivo mais importante para todo ser vivo é reproduzir-se e deixar sua descendência. E neste processo ela sabe que será utilizada para a causa de outra pessoa, que ao mesmo tempo a ajudará a alcançar a sua própria causa.

Ele te buscará porque a seu Eu lhe interessa. Ele procurará te conhecer porque a seu Eu lhe interessa saber o que tu oferece à sua causa, então ele irá interagir contigo apenas por seu próprio interesse.
Ele te escutará para te conhecer para então saber o que é que tu oferece à sua causa, para saber o que ele pode utilizar de ti. Ele te escutará para que tu possa escutá-lo, para que ele se sinta livre ao falar contigo, para poder construir contigo uma ponte de palavras que os guie às ações, para que possa saber o que pode fazer a teu lado, para que possa confiar em ti, e tu nele.
Ele desejará te ver por seu próprio interesse.
A ele lhe agradaria estar a teu lado por seu próprio interesse, porque ele te usará para sua própria causa, e ele sabe que tu o utilizará para a tua.
Ele te abraçará por seu próprio interesse, porque ele gosta de te abraçar, porque espera que tu o abrace, porque ele não pode abraçar a si mesmo.
Ele te beijará porque ele gosta de te beijar, porque espera que tu o beije, porque ao te beijar tu o beijará.
Ele buscará te satisfazer por seu próprio interesse, porque ao te satisfazer ele satisfará a si mesmo, porque ele se sentirá bem se consegue te satisfazer. Ele buscará te satisfazer porque teu orgasmo o levará ao seu, porque a atividade auto-erótica nunca poderá ser tão satisfatória como uma relação sexual real, porque com uma fantasia ele nunca poderá reproduzir seus genes.

Ela não te convêm, porque ela te buscará, compartilhará, acompanhará, respeitará, entenderá, compreenderá, confiará, protegerá, questionará, criticará, guiará, influenciará, ensinará, surpreenderá, apoiará, alegrará, satisfará, incitará………, por seu próprio interesse.
Ela te amará por seu próprio interesse, e tudo o que faça por ti, em princípio, é algo para ela mesma.
Ela não te convêm, porque se ela chega a te amar, será apenas porque tu, em grande medida, representa seu próprio interesse. Ela ama seu interesse, e apenas por isso te amará, porque neste ponto de alguma maneira tu já formará parte dela, será parte de seu interesse e de sua causa, porque inevitavelmente tu já formará parte de seu Eu.
Ela apenas poderá chegar a amar a pessoa que consiga chegar a seu Eu, ao centro de seu ser, ao centro do que é mais importante para ela, ao centro de onde gira sua própria existência.

Se ele demonstra que te ama é porque tu representa seu interesse, e ele ama seu interesse. Então ele com estas demonstrações a ti, em realidade, demonstra apenas o amor que ele tem por si mesmo. Ele entende e compreende que tu também só ama e te importa com tua própria causa, e que ao compartilhar sua vida a teu lado ambos se utilizarão, e assim beneficiarão suas próprias causas de uma maneira natural, livre e
sincera.
Eles não tem convêm, porque são;
Egoístas e selvagens.

Ele e ela.

Outono de 2014.

Uma Aranha!….

Texto extraído da publicação Criminal y Salvaje. Tradução a cargo de Anhangá.

– Aaaaaah!… Uma aranha!…. Mate ela!…. Pise nela!…. Aaaaaah!…

– Nãaaaaao! Pare! Por que você quer me matar? O que eu te fiz? Por acaso eu te machuquei?…

– Não! Mas se eu te deixar viva, você pode me picar e me envenenar.

– Não! Eu não pico e não sou venenosa.

– Você é muito feia e horrorosa, me dá medo.

– Então só por causa da minha aparência você pensa em me matar? Todos os animais são diferentes, ou por acaso você nunca se viu em um espelho? Eu te dou medo hahahaha, mas o que eu posso te fazer? Muito pelo contrário, é você quem me dá mais medo já que você pode acabar com a minha vida tão facilmente, com um só dedo você pode me aniquilar.

– Bem, você tem razão! Eu não vou te matar, mas saia imediatamente daqui, fique longe da minha casa!

– Sua casa? Sua propriedade? O fato de que a sua espécie se sinta dona do planeta não significa de forma alguma que isso seja verdade, este planeta não é dos humanos, é de todos os seres que o habitam, da minha espécie e as outras existentes. Nós habitamos este espaço por milhões de anos, muito antes da sua civilização devastar o ecossistema que ocupava este lugar, antes que você construísse aqui a sua casa e se apropriasse desde local. Eu não sou nenhum intruso, mas você e a sua espécie são uma praga mortal que devasta, modifica e domestica tudo o que há no caminho. O modo de vida que desenvolveram é um terror para as demais espécies. Por que vocês não se dão conta de que o seu progresso está nos levando para a beira do abismo? Sua loucura técnica nos levará a domesticação ou a extinção total. Vocês acham que são os donos do universo, mas isso é mentira, são apenas uma espécie de animal a mais que habita este planeta. Sua espécie se acha tão perfeita, mas o seu estilo de vida moderno não indica isso, o seu constante controle demonstra decadência e demência. Voltem a ser o que eram, apenas uma espécie de animal selvagem a mais. Renunciem a toda esta loucura técnica de vocês, renunciem a seu antropocentrismo, renunciem a esta forma de vida que vocês se impõem, renunciem ao poder e a domesticação, deixem de controlar e deixa-me em paz.

De repente se escutou um pisão que encerrou a curta discussão, e seguiu sem razão alguma a moderna forma de viver do humano.

Revolução Feral.