[ITÁLIA] Seita do Niilístico Momento Mori reivindica atentado explosivo contra a sociedade civil

Comunicado aparecido no final de agosto de 2016.

Reivindicação de um artefato explosivo abandonado em uma lancha a motor no porto de Terracina, Itália. Ataque niilista e egoico perpetrado pela Seita do Niilístico Momento Mori contra os sentimentos sociais e civis.

Traduzido do italiano para o espanhol por “Místico e Maldito” e do espanhol para o português por Anhangá.

Adiante grupos niilistas terroristas!

Morte à moral do ataque!

_________________________________________________________________________

“A consciência! O que é a consciência? Sou eu mesmo quem a invento. Por que sempre me torturo? Por costume. O hábito universal do gênero humano desde 7 mil anos. Libertemo-nos e seremos os deuses!”

A Seita do Niilístico Momento Mori avança e golpeia as estruturas da podre sociedade.

Reivindicamos o atentado explosivo e anti-político no porto de Terracina (província de Latina)!

Com premeditação criminal, astúcia e experiência adentramos ilegalmente no porto, onde colocamos o artefato explosivo com acionamento por relógio em uma lancha a motor…. Sem “piedade cristã” para alguns.

Ilegalmente voltamos à segurança.

Sem fazer diferenças éticas ou classistas.

Nosso objetivo foi ferir ou matar o “sentimento social e civil” inato no corpo humano, e isso para criar terror e alterar o funcionamento dos tecidos gordurosos das células celebrais.

Golpeando de maneira seletiva e indiscriminada negamos cada ideia humanista e o falso ideal de bem e o mal.

Somos Amoralistas pela perversão e o Crime empurramos contra a sociedade da utopia….

Experimentamos para destruir a euritmia da sociedade!

Pelo terrorismo indiscriminado e seletivo!

Cumplicidade criminal e Niilística ao atentado Explosivo dos afins de sangue do Clã Terrorista Niilista “Cenaze”!

– Seita do Niilístico Momento Mori

[ES – MINI-DOCUMENTÁRIO] Infierno Egoico: Terrorismo Nihilista En La Italia Del Siglo XXI

Texto chegado ao nosso email e orgulhosamente aqui o divulgamos!

Tradução realizada por Anhangá.

Com alegria máxima apresentamos este novo projeto de arquivos audiovisuais “Nahual”. Saudamos aos individualistas que se encarregaram da criação deste canal assim como de sua constante atualização. Entre seu conteúdo encontramos as notícias e reações que houveram frente aos atentados eco-extremistas em diferentes partes do mundo.

Canal de vídeos hospedado no “Globin Refuge“. O grupo Nahual não se limita apenas às reações dos meios de comunicação, nele também há a dedicação na criação de pequenos documentários.

É desta forma e mediante a este projeto afim ao eco-extremismo que apresentamos orgulhosamente o vídeo “Infierno Egóico: Terrorismo Nihilista en la Italia del siglo XXI”, no qual se resgatam os atos das diferentes seitas niilistas que ultimamente atentaram e reivindicaram ferozes atos contra a vida cívica; rompendo com os valores morais civilizados e danando com atos e palavras venenosas as bases jurídicas da sociedade.

Cumplicidade de sangue com os Niilistas Terroristas das terras selvagens usurpadas pela definição artificial da “Europa”!

Cumplicidade real com os que difundem a mensagem que rompe o “bem” comum!

Pela expansão violenta da difusão e dos atentados contra a civilização!

Pela perversão e a destruição amoral que executam os individualistas extremistas!

Na Darkweb:
https://goblin2xsbqonuv5.onion/u/nahual/

Na Surface:
https://goblinrefuge.com/mediagoblin/u/nahual/

(Roma Infernetto – “Mundo Merda”) – Profanação e Devoração

Recebemos via email de “Espectro” a tradução do texto “Profanazione e Divorazione” escrito por um membro da feroz Seita do Niilístico Momento Mori.

Pelo terrorismo indiscriminado e seletivo!

Morte à sociedade tecno-moral e à moral do ataque!
_________________________________________________________________________

Fragmento niilista que dedico a um “defunto” inimigo meu.

Por mim.

Ajoelhe-se diante de mim.

Tu te estiras e te alargas em uma posição raquítica.

Cuspo sangue negro, bílis da efusão.

Cuspo meu líquido venenoso contra meu inimigo.

Estás preso.

Capturado vivo, respira morto.

Morto estavas antes, com sua vida inútil, na necessidade de Minha paixão.

Aprisionado por uma armadilha que entreguei a ele.

Como uma aranha que tece sua teia para capturar a sua presa.

A fria nacessidade estratégica e a ardente Paixão para avançar neste “mundo morto”.

União de elementos, partículas venenosas de Egolatria, que se juntam e se chocam entre si, formando-se e destruindo-se.

O Criminoso Niilista é um animal feroz em uma sombria metrópoli.

Empobrecida carne viva e apodrecido interior.

Ele recebe horror pela humanidade decadente e sente Terror.

Está de frente e de joelhos: aflito desde o nascimento de seu atributo de limitação à sociedade honesta e correta.

Estavas equivocado.

O que pensava, que pensavas, viu-o como um absoluto no absoluto de tua condição.

Estás confundido, o que pensava, o pensavas, falsificaste tua vida e tua vitória de maneira geométricamente perfeita.

Precipitado em minha cova clandestina:

Agora és um morto errante.

Queria, já sabes, não duvidar… de ti mesmo.

Pensar e sentir, cheirar como um animal selvagem, em meio a espelhos simulados do ser humano mortal.

Não espelho nem reflito o sentido dado às coisas, mas romperei e esmagarei a certeza absoluta.

Me afundo com o veneno abismal, na profundidade solipsista de Meu inferno exclusivo.

Abro o abismo, hermético e infinito, e vejo uma parte superior, vertigem que suga aspectos infinistesimais da vida e da morte, o desejo do sentido morre a partir de uma esplêndida vida linear.

Não há um bocejo “comum”, aqui, em Minha cova clandestina, está o desejo de aniquilar a vida que capturei.

Cérbero está a meu lado.

O cachorro infernal de três cabeças.

Uma invocação caótica a suas bocas infernais.

Elementos unindo-se e encontrando-se, se liquifazem e misturam-se com a forma da sombra maléfica que persegue a meu corpo.

Tenebrosidade da noite que obscurece o conhecimento do raio limpo da paz.

É uma oração esquizofrênica, e uma petição de prazer e dor, sublime agonia pela morte de meu Objetivo Egóico.

“O cão do inferno expulsa seu esperma venenoso sobre meu inimigo, desejo o mal que aniquila a moral, teu julgamento para um ser humano infeliz que Agora está de frente para mim”.

Profanação de um corpo.

Devorando seu “sopro de vida”.

Um membro da Seita do Niilístico Momento Mori

Roma Infernetto – “Mundo Merda”